D.C.E. divulgou nota pública em resposta a declaração do Ministro da Educação, Fernando Haddad, em relação a criação da Universidade Federal de Rondonópolis o pronunciamento causou descontentamento nos acadêmicos do campus da Universidade Federal de Mato Grosso.

Segue a nota no diretório:

Nota Pública do Diretório Central dos Estudantes 11 de Agosto

 O DCE 11 de Agosto vem por meio desta nota pública à sociedade, manifestar seu descontentamento e repúdio as recentes declarações do Ministro da Educação, Fernando Haddad, sobre a criação da Universidade Federal de Rondonópolis. Manifestamos também o nosso desagrado com o silêncio e a passividade com a qual reagiram; me refiro a Reitora Dr.ª Maria Lucia Cavalli, o Governador Silval Barbosa e os parlamentares da bancada matogrossense que estavam presentes na reunião com o ministro, quando foi dada a declaração contrária a UFR, com o absurdo argumento de densidade populacional do Estado de Mato Grosso, disse o Ministro: “Quantos milhões de habitantes existem em Mato Grosso? Três milhões? É pouco. Não é recomendável desmembrar uma universidade porque não há tanta demanda suficiente que justifique.”

Leia também:  Governo do Estado inicia neste domingo (11) demolição de imóveis na Ilha da Banana

Como pode o Ministro dar uma declaração como esta, visto que ele estava à frente do MEC quando foi criada a Universidade Federal de Dourados, no vizinho Estado Mato Grosso do Sul, considerado menor que Mato Grosso em nível populacional, economia e território? Essa atitude foi um desrespeito a Comunidade Acadêmica do campus de Rondonópolis, e um desmerecimento de todo o Estado de Mato Grosso, e a UFMT como um todo. Tendo em vista que foi ela quem apresentou o projeto ao MEC, e ao Município e região.

Esse argumento oculta as verdadeiras razões que levaram o Ministro a não concordar com a autonomia do nosso campus, pois o mesmo havia declarado em 2008 que quando o campus atingisse 16 cursos e 2 mestrados teríamos nossa autonomia. Essas metas já foram atingidas e superadas, porém o MEC agora muda de posição e usa outro argumento sem sustentação, escondendo que suas razões, estão ligadas a mudança de posicionamento do Ex-Governador e atual Senador Blairro Maggi, que mudou para Cuiabá a sede de sua empresa. O Ministro precisa entender que Mato Grosso é muito maior que uma pessoa.

Leia também:  Jaciara | Obras do reservatório de água na sede do DAE estão aceleradas

Pedimos a nossa classe política uma reação imediata a essas declarações que denigrem a imagem o nosso querido estado de Mato Grosso, e mais empenho da nossa bancada de representação em Brasília, que deveriam pensar na ironia de termos ganhando a Copa para Cuiabá. Porém o Mato Grosso do Sul já tem duas Universidades Federais, o que é mais vantajoso para nosso estado, senhores Políticos?

Por tanto para mudarmos essa situação, junto a essa Nota, o DCE já esta em processo de mobilização dos estudantes, organizando uma ação contunde e formulando uma pauta de Reivindicações, que será apresentada para uma Assembléia Estudantil a realizar na próxima terça, 29/11, às 7:00hs, 13:00hs, 19:00hs, no corredor do bloco central, onde decidiremos os instrumentos e formas de lutas que serão usadas para conquistarmos o objetivo de criação da UFR. O movimento Estudantil vai mostrar sua força e honrar sua história, vamos à luta estudantes! Afinal, como dizia aquela música da banda dos Engenheiros do Hawaii “Eu não vim até aqui pra desistir agora…”

Leia também:  Em 2017, cerca de 160 suspeitos de roubos e furtos de veículos são presos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.