Foto: Internet

Cada vez mais utilizadas — tanto por pessoas que têm problemas de vista quanto apenas por estética — as lentes de contato podem se tornar um problema se não forem tomados cuidados com a higiene. Atendendo a recomendação do Ministério Público Federal, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deve obrigar que fabricantes incluam informações sobre os riscos nas embalagens a partir deste mês.

Levantamento da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato aponta que cerca de 20% das complicações no uso de lentes são decorrentes de contaminação delas por manutenção e armazenamento inadequados. Outros 45% são consequência do uso além do prazo de validade ou durante a noite, e os 35% restantes são fruto de alergias.

Leia também:  Novo teste pode ajudar a descobrir se bebê será prematuro

Alguns cuidados com a higiene podem evitar infecções e doenças no olho de quem usa lentes. O primeiro deles é nunca usar água nem soro fisiológico na limpeza das lentes. Saliva também é proibida. O ideal é o uso de soluções especiais. Quem tem olhos sensíveis pode optar por soluções preparadas com menos química já existentes no mercado.

“A água da torneira pode estar contaminada com protozoários e outros micro-organismos, assim como a saliva e o soro, que não matam nem bactéria nem fungos”, diz Luiz Fernandes, diretor médico da Bausch+Lomb, fabricante de lentes.

Dormir com elas é arriscado

As lentes para uso durante o sono podem ser vilãs. Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, as chances de contaminação e úlcera na córnea aumentam 10 vezes para quem dorme com elas. Já o estojo deve ser lavado pelo menos uma vez por semana com água, sabão neutro. Ao fim da lavagem, deve secar na sombra. O objeto deve ser trocado a cada seis meses.

Leia também:  10 perguntas e respostas sobre o dente do siso
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.