Após dois meses de investigação seis pessoas foram presas pelo crime de desvio e furto de carga, resultado do trabalho da equipe de investigadores da DERF/ROO, coordenada pelo Delegado Claudinei Lopes, a operação “Caminhão Fantasma III”, foi deflagrada na noite de quinta-feira (24/11). Outras pessoas foram indiciadas por participar do bando.

De acordo com o delegado, os investigadores da DERF observavam motoristas e funcionários de empresas multinacionais do segmento de fertilizantes, que estavam envolvidos no furto do material.

No último dia 23 de novembro ocorreu um furto, em uma esmagadora de grãos, de aproximadamente 40 toneladas de fertilizantes estimado em R$ 60 mil. Com a analise de imagens das câmeras de segurança das empresas de fertilizantes, os policiais civis identificaram que a carreta bi-trem utilizado no furto, ainda carregada, estava no pátio de um posto de combustíveis, na saída para Campo Grande.

Leia também:  Setor de Serviços continua liderando geração de empregos em Rondonópolis

Segundo a polícia, a carreta foi deixada estacionada até que a quadrilha conseguisse uma nota falsa para “esquentar” a carga furtada e seguir viagem para o local da receptação.

Conforme o delegado Claudinei, o proprietário do veículo, Odenil Felizarti (44) e o Sueder Felizarti Lopes (21), aparecem em outros furtos constatados durante o mês de outubro/2011. Sueder foi preso no distrito industrial e Odenil encontra-se foragido, sendo considerado um dos chefes do esquema criminoso, juntamente com Daniel Ferreira Lima, encarregado das negociações das cargas furtadas e contratação dos comparsas.

Com a prisão de Sueder, e provas documentais (espelhos de pontos dos empregados) e outras imagens, foi possível confirmar a participação de quatro empregados da empresa, sendo: o operador de produção Aloísio Cândido de Souza, 23, os operadores de pá (carrregam as carretas) Anderson Nunes Soares (24), Bruno Oliveira de Salles (26) e Juciney Martins de Novais (30), além de Antônio Rodrigo Silva Souza (26), que também teria participação no caso.

Leia também:  Decisão Judicial revela que telefone institucional utilizado pelo Gaeco também foi interceptado

No entanto, o Delegado Claudinei declarou que irá representar pelas respectivas prisões preventivas dos mesmos. Ainda segundo o delegado, já foram confirmados quatro furtos perpetrados pela mesma quadrilha contra a mesma vítima, com o prejuízo patrimonial de R$ 240 mil, mas acredita-se que o valor possa ultrapassar os R$ 2 Milhões.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.