[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=bgx9pvGw394[/youtube]O brasileiro Júnior “Cigano” dos Santos conquistou o cinturão dos pesos-pesados do UFC neste sábado, ao derrotar o mexicano-americano Cain Velásquez por nocaute, em apenas 1m04s de luta, em Anaheim, EUA. Ele se tornou o primeiro representante do país a deter o título absoluto da categoria – seu “padrinho”, Rodrigo Minotauro, foi campeão interino dos pesados. Foi sua 14ª vitória em 15 lutas na carreira, e a primeira derrota de Velásquez em 10 combates no seu cartel.
Considerado a “zebra” da luta, Cigano entrou, como de costume, sob o tema do filme “Rocky, o Lutador”, cujo personagem principal também entrava nos ringues desacreditado. Velásquez, por sua vez, entrou celebrado ao som de um “mariachi”, música típica do México. Ao ser apresentado, Júnior foi muito vaiado, mas manteve a expressão séria. O mexicano-americano, por sua vez, se mostrava tenso, mas concentrado e preparado para a batalha.

Velásquez começou com um chute baixo, mas Cigano também acertou um cruzado de direita. O mexicano-americano quase derrubou o catarinense ao segurar uma pisada, mas ele defendeu bem. Velásquez se arriscou no jogo de pé, e sua falta de ritmo após mais de um ano afastado do octógono foi sentida. Cigano atacou e acertou um gancho de direita que derrubou o campeão. Júnior não desperdiçou a oportunidade e partiu para cima do adversário, castigando-o com marretadas até ser interrompido pelo árbitro “Big” John McCarthy com 1m04s de primeiro round.
Não tenho palavras para explicar. Quero agradecer ao meu time e minha família, tenho gente muito boa na minha vida. Cain Velásquez foi o cara mais duro que já enfrentei, estava com medo de enfrentá-lo, eu não estava 100% para esta luta. Estou muito feliz – declarou Cigano, que não segurou o choro de emoção.
Cain Velásquez admitiu que sua atuação não foi à altura de seu nível.
Desculpem-me, eu vou voltar. Ele meio que mexeu com meu equilíbrio, é muita força. Eu esperei muito para ele vir pra cima e ele fez o que tinha que fazer. Parabéns para ele – lamentou Velásquez.
Com o título de Cigano, o Brasil igualou o número de cinturões do UFC com os EUA – agora, são três campeões brasileiros (Anderson Silva, dos pesos-médios, e José Aldo, dos pesos-pena, são os outros) e três campeões americanos (Dominick Cruz, dos pesos-galo, Frankie Edgar, dos pesos-leves, e Jon Jones, dos pesos-meio-pesados). A única categoria com campeão de outra nacionalidade é a meio-médio (Georges St-Pierre, do Canadá).

Leia também:  Câmara aprova fim de multa para quem esquecer carteira de habilitação
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.