O senador Pedro Taques (PDT) é o mais novo alvo do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE). O parlamentar é acusado de utilizar a verba indenizatória, de R$ 15 mil mensal, para pagamento de R$ 4,70 relativo a um “cafezinho”, em uma padaria em Cuiabá. A acusação partiu do advogado do MCCE, Vilson Neri, em entrevista ao jornal do Meio Dia, da TV Record, do Grupo Gazeta de Comunicação, na segunda-feira (14/11) e foi notícia no site O Documento.

Para Neri, a atitude do parlamentar é contrária ao lema pregado por ele de moralidade e honestidade na política. “Temos 2 notas fiscais com despesas do senador Pedro Taques e uma já foi paga pelo Senado. O senador não é o cara que inventou a honestidade na política, mas faz questão de se colocar assim”, disparou.

Leia também:  Salles aos poucos volta à cena política

Taques não foi localizado pela reportagem para comentar o assunto. Mas a assessoria de imprensa do parlamentar justificou o gasto, ao afirmar que a despesa foi gerada em situação de evento parlamentar, realizado no escritório dele, na Capital.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.