Sou do tempo que a gente fazia questão de se apresentar pelo nome completo sem se importar que parecesse nome de ator ou atriz de novela mexicana (sem ofensas) e muito menos fazerem as contas das letras do meu nome somar, dividir e depois descobrir que na numerologia devo acrescentar um N a mais ou derrepente tirarem algo e assim por diante… Olá meu nome é Simone Cristina Viana.

Sou do tempo onde falar a idade correta era total motivo de orgulho pelos anos vividos e não um outdoor que diz quantos cremes você usou… Tenho 36 anos nascida em Rondonópolis no dia 05/09/1975 às 04 h da madrugada… Neste tempo ninguém tentava ver meu plano astral descobrir meu ascendente, onde a lua ou mercúrio estava… Sou do tempo que no máximo se sabia que era do signo de virgem porque nasci no mês de setembro (hoje lembro da reprise ou do remake do Astro que diz: Sou de virgem e só de pensar me dá vertigem.).

Sou to tempo que Os trapalhões realmente eram os trapalhões e o Didi e o Dedé eram realmente amigos depois do falecimento dos outros (Zacarias e Mussum)… Tive o prazer de ainda vê-los aqui em Rondonópolis em uma apresentação em um circo há muito tempo atrás puxa foi incrível só fiquei triste porque o Didi não pode comparecer, mas em compensação conheci os demais inclusive o Mussun que alias fui uma das crianças escolhidas para participar de uma das brincadeiras foi um lindo sonho infantil que dura até os tempos de hoje.

Sou do tempo que me considerava uma baixinha da Xuxa, cantava, dançava e ainda a imitava, cantar (pega estica e puxa, ilare o o o..) era um grande barato!

Sou do tempo que assistir televisão era o máximo (não existia internet) então tudo que queríamos estava ali desenhos, Xuxa, e. não lembro do resto! Mas lembro de assistir também Silvio Santos sim aos Domingos não era Faustão ou Gugu, Eliana, etc. Era o dia do homem do Baú era autentico, dava presentes, muitos brinquedos… Que sonho! Falando em SBT nossa sou do tempo que o Bozo era o melhor palhaço do mundo (curioso hoje odeio palhaços) uma das maiores emoções da minha vida foi o dia que consegui escondido dos meus pais ligar para ele e participar da Batalha Naval (só quem assistiu) pode compreender a emoção de uma criança aqui de Rondonópolis ao vivo falando e jogando com o Bozo, bem não durou muito morri logo na primeira tentativa, mas valeu a pena!(alô criançada o Bozo chegou trazendo alegria pra você e o vovô!).

Sou do tempo que curtia e amava os Menudos e ainda New Kids on the Block (não posso falar deles sem mencionar a minha querida prima Renata Moya de SP) sonhava com eles, sabia tudo deles, tinha revistas, figurinhas, fitas cassetes (é não existia cd, dvd, mp3 etc.) vinil eu não tinha… que pena! Sou do tempo que tínhamos ídolos, mas não dormíamos dias em filas de estádios para ver shows apoteóticos muito menos nossos pais nos levariam (e ainda mais nossas amigas) para acompanhar como loucas alucinadas por famoso! Sou do tempo que era normal ter um ídolo, mas sabíamos que era platônico…

Leia também:  É preciso ter coragem para ser você

Sou do tempo que não perdia um capitulo de malhação que a principio “Malhação” fazia jus ao nome (era uma academia) então os atores malhavam. Sou do tempo do Mocotó (André Marques) aquilo sim dava audiência, eram historias menos fabulosas era mais fácil nos identificar sem que para isto tivéssemos que alterar nossas estruturas nosso caráter enfim nossos princípios a Malhação deste tempo não seguia modismo não ditava modismo só era um bando de jovens vivendo suas historias sendo contada e passada na maioria das vezes dentro da academia. Claro os ingredientes básicos sempre existiram como toda boa novela, um mocinho, uma mocinha (ambos sofrem muito) durante a maioria do tempo eles não conseguem ficar juntos, tem um vilão e sua turminha de vilõezinhos, tem uma amiga má… Mas no final tudo acabava bem!

Sou do tempo que ser adolescente ser “rebelde” no Maximo era andar com uma turminha estranha, ouvir um som alto de preferência rock metal e às vezes se vestir de preto e pintar as unhas de preto (meninas) e (meninos) deixavam seus cabelos crescer detalhe sem inteligentes, sem progressivas e etc.

Sou do tempo que quando queríamos contar um segredo nosso nós meninas tínhamos duas opções primeira: contar para nossa melhor amiga (não usávamos siglas do tipo BFF=melhor amiga sempre) então íamos lá e simplesmente falávamos, e a segunda opção era: o nosso querido diário, ótimo nele podíamos confiar relatar, confessar nossos maiores segredos me lembro bem do meu primeiro diário ganhei no meu aniversario de 11 anos em uma festa muito linda, sabe era daquele bem fofo que tinha um pequeno cadeado e duas chavinhas (sempre pensei porque duas?) acho que era no caso de se perder uma (ou sei lá). Enfim nos dias de hoje dizem que temos melhores amigos ou BFF, mas na ausência destes não se preocupe temos a tão maravilhosa internet e uma rede de relacionamentos incrível onde poucos segundos pode se compartilhar segredos com tantas pessoas que você nem se quer imagina, por exemplo: pode se twitar hoje conheci o garoto dos meus sonhos! E lá se foi um segredo! Fazer o que?

Sou do tempo que chamar alguém de mestre, significava que esta pessoa tinha muita sabedoria e era uma honra obter informações dela, quantos mais ela falava mais queríamos ouvir, não importava qual era o assunto… Hoje lamentavelmente consideramos mais ou menos aqueles que após a faculdade fazem o mestrado e olha lá… Doutor então eu mesma me questiono certas vezes se advogados devem ser tratados por doutores se não tem doutorado (existem comunidade no falecido orkut que diz: doutor é quem tem doutorado) eu admito tenho no meu falecido orkut! Mas sou do tempo que todo médico seja psiquiatra ou pediatra com ou sem doutorado é DOUTOR!

Leia também:  Cuide-se! Ame-se! Previna-se!

Sou do tempo que fazíamos nossas amizades na infância, depois na escola, e assim os levaríamos para a vida toda tudo o que precisava era saber o nome e onde morava… Hoje você já pergunta tem Face? MSN? Orkut? Twiter? Blog? Etc. me Add? E por ai vai (como dizia nosso bom poeta Cazuza: assim caminha a humanidade) onde relacionamentos não são nem mais feitos em portas de botecos, são feitos atrás de uma tela de computador ou se quiserem laptop, celular, etc. Adicionamos um conhecido que um dia cruzamos numa festa que ambos estávamos bêbados etc. e depois ninguém se lembra ao certo, mas na duvida pensa é melhor adicionar e não é o bastante junto deste total desconhecido (a) vêm 105 amigos e você? Você também os adiciona derrepente tem alguém interessante não é! A resposta e NÃO adicione quem não conhece a menos que neste meio que usa seja um instrumento meramente comercial sem nenhuma informação da sua vida pessoal. Sabe por quê? Porque no meio destes 105 suposto amigos que você adicionou você não faz a menor idéia, mas poder ter pessoas invejosas, mentirosas, homicidas, pedófilos, latrocidas (não coloquei numa ordem de preocupações foi totalmente aleatórios) quero dizer que você não faz a menor idéia de quem vai acessar suas informações, por exemplo: Ontem você foi àquela festa louca (onde estava todo mundo), outro exemplo: Tirou uma foto super maneira em um lugar incrível e lógico tirou uma foto e você marcou tal amigo, ou seja, além de comprometer você mesmo corre o sério risco de comprometer aqueles que você tanto estima sua família e seus amigos, etc. Sou do tempo que é Sempre Melhor Prevenir do Remediar!

Sou do tempo que estudar na escola pública não era uma vergonha para seu currículo, mas sim motivo de orgulho para nós e nossos pais, a escola era muito boa na sua estrutura e no seu ensino (não praticávamos atos de vandalismos contra patrimônio público) admirávamos nossos professores, muitos de nós ainda sonhavam em um dia ser como eles “Professores” não era um profissão era uma missão honrosa e digna!Não uma vergonha nacional como hoje!

Sou do tempo que orávamos o Pai nosso todos os dias e isto não interferia em nossas escolhas religiosas ou em nossas crenças! Simplesmente aprendíamos que devíamos Amar, Respeitar e Honrar a Deus por todas as coisas que tínhamos fossem poucas ou muitas inclusive pela graça de estarmos vivos!

Sou do tempo que nas escolas nós aprendíamos a cantar o Hino Nacional, fazíamos posição em fila, mão no peito enquanto o diretor alteava a Bandeira Nacional podíamos não compreender a dimensão daquele gesto o significado tão majestoso das palavras do nosso hino nacional, mas quem aprendeu na primeira infância isso sabe que o quanto valeu a pena. Isto sem falar em Hino da Bandeira, do nosso Estado e muito menos de nossas cidades!

Sou do tempo que prestávamos o vestibular com convicção de um futuro promissor não optando pela profissão do momento (a profissão da hora) a profissão que está dando mais dinheiro hoje, mais status e com certeza em pouco tempo porque hoje não temos muito tempo! Porque antes nos fazíamos o nosso tempo e hoje o tempo nos faz! (somos escravos do tempo). Afinal todos concordam Tempo é dinheiro!

Leia também:  Terminei o tratamento do câncer de mama, e agora?

Sou do tempo que ao fazer o vestibular nos passávamos pelo nosso mérito se tivéssemos preparados não como hoje onde existem cotas para cor da sua pele, pela renda da sua família, pela sua etnia (não sou contra ao respeito pelas diferenças, mas sou a favor do respeito primeiramente pela igualdade de todos) enfim por tantas coisas que às vezes me pergunto se o conhecimento ainda está sendo considerado? Já que sabemos que hoje as crianças, jovens não reprovam por não saberem o que lhes precariamente foi ensinado são passados para uma nova serie num sistema que ainda não compreendo. Mas conheço jovens que às vezes já na sua maioridade ainda não sabem ler, escrever quem dirá interpretar. Mas os vejo pilotando suas motos às vezes carros (presenteados por seus próprios pais, ou dos seus pais supostos responsáveis pela vida dos mesmos) e com habilitação o que torna cada dia mais irreal! Volto a lembrar de Cazuza (assim caminha a humanidade).

Sou do tempo que a família tinha real significa na vida da gente conselho de mãe então era como uma lei federal (Mãe Deus abençoe por todo amor que me dá e pelos conselhos que ouvi e os que fingi que ouvi) arrependo-me amargamente dos conselhos que minha mãe com sua simplicidade, mas cheia de sabedoria me deu e eu não os segui …porque quando tudo aqui se vai, o dinheiro, a fama, e os nossos tão estimados amigos vocês já sabem mas vou registrar e a FAMÍLIA (Mãe,Sandra,Junior e Silvia e demais) que fica que nos suporta que por mais terrível que seja nossos relacionamentos familiares uma coisa sempre vai falar mais alto o SANGUE! Mas sei por experiência própria que Deus nos permite ter alguns poucos amigos que são como anjos em nossas vidas (Leko e Edi e demais) segurem os com todas suas forças não os soltes e um lembrete quando nos confiamos em alguém nos entregamos a este pessoa um lindo presente uma peça da sua escolha, mas o detalhe especial ela é tão somente feita de CRISTAL e eles quando quebrados nunca mais terão como consertar, cristais não se colam, não se emendam. Cristais se rompem e nunca mais vocês os terão os mesmos de volta! Cuidem dos seus cristais!

Enfim sou do tempo que as pessoas teriam tempo para ler este texto, pois talvez naquela época não exitiria tanto stress, não falta de tempo… Tão falta de tudo! Mas se você conseguiu ler até agora parabéns e muito obrigada, pois a minha intenção ao escrever este texto foi fazer você voltar ao seu tempo. Você é do tempo de que?

Simone Vianna

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.