FOTO ARQUIVO AGORA MT

O vereador Mohamed Zaher (PSD) fez nesta quinta-feira (10/11) uma visita à central do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para verificar as reivindicações encaminhadas no início desta semana para a Câmara Municipal pelo Sindimed (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso). O vereador pode visualizar que falta de tudo um pouco no local.

A sala onde é feita a regulação são usados os computadores pessoais dos funcionários por falta de computadores e equipamentos próprios para a central. Além disso, apesar de haver três linhas telefônicas há somente um aparelho de telefone para receber as chamadas. O local de descanso dos profissionais, um quartinho com uma cama, uma mesinha, colchões e ar condicionado cheira mofo e está com várias rachaduras e infiltrações.

Leia também:  Rondonópolis e outros seis municípios correm o risco de perder zona eleitoral

Durante a visita, a central recebeu a informação de que uma das ambulâncias quebrou durante um atendimento e foi levada para o conserto. “Hoje ficaremos somente com uma ambulância básica e uma completa para atender os chamados”, explicou o profissional, ressaltando que há ocasiões em que somente uma ambulância faz o atendimento, a exemplo do que ocorreu no final de semana passado. Durante uma ligação de chamada de socorro, o profissional precisou explicar a situação e solicitar que o atendimento fosse feito por moradores, já que o caso, queda de uma criança, não era considerado de urgência. “Estamos destinando as ambulâncias somente para atendimento de ferimentos graves em acidentes e ferimentos à bala”.

Os médicos do SAMU reclamam de falta de estrutura, reajuste salarial e más condições de trabalho. A União repassa R$ 96.500,00 para o serviço que deveria ter a contrapartida de mais 25% deste total do estado e outros 25% do município. Mas não há como ter certeza que esses repasses estão acontecendo. Documentos datados de 2009, apresentam ausência total do repasse do município. O Sindimed já solicitou providências do Ministério Público Federal e Estadual e agora apela pela interferência da Câmara Municipal para melhoria das condições de trabalho.

Leia também:  Ministros participam de inauguração na Santa Casa

Mohamed lembrou que uma reunião foi agendada para a próxima quarta-feira às 9 horas na Câmara Municipal com as três esferas do convênio e os vereadores. “Já temos um relatório enviado pelo Sindimed e aguardamos a exposição dos fatos e explicação do Estado e do Município, o que deverá acontecer na reunião, mesmo assim encaminharemos os problemas para o conhecimento da Assembléia Legislativa, através do presidente José Riva, o mais rápido possível para verificarmos o que poderá ser cobrado por lá dos órgãos competentes. Quanto aos vereadores, temos certeza de que tudo será feito para solucionar o problema, afinal este é o serviço que salva vidas na nossa cidade”, finalizou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.