Após as festas de natal o comércio inicia as liquidações e saldão de estoque com promoções tentadoras, contudo por mais que os preços estejam vantajosos, podem não ser um bom negócio adquirir o objeto, alerta o economista Fábio Cardozo.

O economista explica que entre os meses de janeiro e abril há uma grande incidência de contas extras, como por exemplo, IPV, IPTU, compra de materiais escolares, que podem acarretar em uma sobrecarga e endividamento do consumidor.

Cardozo orienta que a pessoa deve ter um controle das contas e se possível sempre deixar um fundo de reserva para suprir a necessidade de liquidar contas extras ou emergências como problemas de saúde.

Leia também:  Primeiro dia de campanha atrai consumidores

Outra sugestão é que as pessoas sempre se perguntem, antes de efetuar a compra, se está comprando por necessidade ou precisão, pois é caro adquirir qualquer objeto sem necessidade, por mais barato que seja.

Fábio afirma é preciso disciplina e controle para não comprar objetos promocionais e ficar endividado posteriormente.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.