O 1º Fórum do Conselho da Mulher de Rondonópolis reuniu autoridades na tarde de hoje para discutir ações que podem ser feitas para diminuir a violência contra a mulher e também para mostrar como é o trabalho realizado pelo Conselho. Para a presidente do CMDM, Sandra Raquel Mendes, o evento teve um resultado positivo, “foi um momento em que se pode perceber que outros órgãos públicos também estão abertos para ajudar nessa luta”, diz.

Segundo a presidente as ações serão intensificadas no ano que vem com mais seminários, fóruns e trabalhos que possam fortalecer a rede. “Um conselho não está mais sendo suficiente precisamos descentralizar para podermos atender a demanda. A função do conselho é orientar, encaminhar e acolher essas pessoas que sofrem algum tipo de agressão seja mental ou física”, fala.

Leia também:  Cerca de 200 manifestantes pedem a volta da UTI Pediátrica em Rondonópolis

Sandra também afirmou que existem homens que tem procurado o Conselho para pedir ajuda. “Hoje tem crescido o número de homens que precisam da nossa orientação, pois estão sendo coagidos pelas esposas, porque às vezes ela não quer dar o divórcio, não deixa ver os filhos ou tem sofrido com pressões psicológicas”, alega.

O Conselho da Mulher conta com profissionais da psicologia, assistência social e direito que estão disponíveis para atender as mulheres que procuram pelo CMDM. “Nenhuma mulher pode sair do conselho sem que ela seja acolhida”, comenta.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.