O empresário João Batista de Lima, o Joãozinho da Brascor, que na manhã desta quinta-feira, renunciou ao cargo de presidente do União, por meio de uma carta enviada ao presidente do Conselho Deliberativo do Colorado, revelou no documento que além de problemas de saúde decidiu deixar o cargo também por não ter conseguido viabilizar financeiramente a equipe para a disputa do Estadual deste ano.

Na mesma carta, o ex-presidente reconhece que chegou a colocar no Colorado, dinheiro do próprio bolso para pagar dívidas, inclusive de gestões anteriores, e que está entregando o cargo sem dívidas para o próximo presidente.

O ex-dirigente do Colorado ficou cerca de um ano no comando da equipe, neste período, ele não conquistou nenhum título e somou maus resultados no estadual e na Copa Governador.

Para o estadual do ano que vem, ele já havia contratado o técnico Vitor Hugo.

Leia também:  Liminar suspende leis que dispensavam licenciamento para pequenas pisciculturas

O superintendente de futebol do Colorado, Pedro Gomes da Silva, o Pedro Bala, explicou que o vice-presidente Leandro Rosa, o Leandro da Diversa, não deve assumir o cargo, assim como o segundo vice, Elusmar Maggi, dessa forma deve ser convocada uma nova eleição pelo presidente do Conselho Deliberativo.

Confira a carta de Joãozinnho

Carta Renuncia

Rondonópolis/MT, 08 de Dezembro de 2011-12-08

Ao Conselho Deliberativo

Sr.Presidente e demais membros

Na oportunidade em que me apraz cumprimentá-los, é com muita honra e boas lembranças, que fui eleito presidente do clube do meu coração, pelo qual sempre torci com muito orgulho e fervor.

Assumi a presidência com um programa audacioso, e porque não dizer ambicioso, regularizando os problemas administrativos, financeiros e patrimoniais do União, além de tentar novamente alçar o clube ao bicampeonato estadual, fato este que ainda não foi possível devido à uma série de fatores.

Leia também:  Fórum Sindical pede para MPE afastamento de deputados delatados

Consegui, ainda, as duras penas, e também com muito investimento de capital próprio, efetuar o pagamento de dívidas e pendências de anteriores. Bem como, nesta minha gestão, não contraímos nenhuma dívida e também não existem pendências.

Foram meses de luta intensa e pressão exercida por credores, assumindo às vezes obrigações acumuladas nas gestões anteriores e que não eram de minha responsabilidade.

Ocorre que, principalmente por questões financeiras, falta de parcerias e patrocínios, não terei condições de colocar em praticar e participar nem mesmo dos campeonatos do próximo ano, somando-se também, ao fato de que a ocupação do cargo está abalando a minha saúde e agravando-a em vários aspectos.

Em razão dos fatos relatados, sou obrigado a, lamentavelmente e também por motivos de foro íntimo, comunicar aos distintos membros deste Conselho Deliberativo minha decisão, irrevogável e irretratável, de renunciar ao honroso cargo de presidente.

Leia também:  Saúde foca em realização de novo concurso

Tenho em mente que durante minha gestão até a presente dada, me dediquei ao clube, dei o melhor de mim e fiz tudo que estava ao meu alcance, juntamente com os demais membros da Diretoria, para sempre elevar o nome do União Esporte Clube.

Respeitosamente agradeço o apoio recebido nesse período e desejo que o clube possa encontrar uma forma de ultrapassar os obstáculos que impedem o seu sucesso, possibilitando a trajetória normal desta entidade esportiva e social que possui uma torcida tão entusiasmada e vigorosa.

João Batista de Lima

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.