Foto: Internet

Nas comemorações de fim ano, normalmente, abusa-se da comida e da bebida. Por isso, neste sábado (24), a nutricionista Karin Honorato, ensina como combater a ressaca e ainda desvenda mitos sobre o assunto.

Mesmo aqueles que não bebem, sabem os efeitos que o álcool pode causar no dia seguinte: dor de cabeça, boca amarga, diarréia, vômito e desidratação. Karin Honorato afrima que o abuso de bebidas alcoólicas, além de trazer toxinas para o nosso organismo, desequilibra o nível de açúcar, afeta o nível de vitaminas e nutrientes, tirando a energia do corpo.

Antes de dar sugestões de como driblar a ressaca, a nutricionista explica por que a sensação é provocada. “Quando você consome o álcool, ele aumenta rapidamente o nível de açúcar do organismo e, consequentemente, há uma queda. É nessa queda que o organismo quer se recompor. Por isso, as pessoas, após a ingestão de bebida alcoólica, sempre querem aumentar o consumo de comidas gordurosas, de açúcar e, até mesmo, de alimentos com muito sal. É uma espécie de recompensa rápida para o organismo”, detalha. Karin Honorato alerta, porém, que esses alimentos, além de não possuírem nutrientes, acabam prejudicando o funcionamento do fígado, já afetado pelo consumo do álcool.

Leia também:  Esclerose múltipla | Do que são feitos nossos sonhos?

As verduras escuras são a principal dica para eliminar as toxinas que vieram com o excesso de bebida. Consumir vegetais no dia seguinte, em sucos, saladas e em todos os preparos, ajuda a livrar-se da ressaca mais rapidamente. A especialista ressalta que repolho cru, além de ajudar o fígado, melhora os sintomas da dor de cabeça.

Os líquidos também são importantes para quem bebeu demais. Segundo Karin Honorato, consumir água, cerca de dez copos por dia, é fundamental. Os chás também são benéficos para aliviar a ressaca, principalmente aqueles feitos com ervas, como o boldo e a alcachofra. “O boldo possui a boldina, que é uma substância ativa, e a alcachofra, possui a cinarina. Todas essas duas substâncias são hepatoprotetoras, ou seja, protegem as células do fígado, desintoxicam e ajudam a bile a funcionar melhor”, explica a nutricionista. Em caso de desidratação, diarreia ou vômito, decorrentes do consumo de bebida alcoólica, a dica ingerir, também, ao longo do dia, isotônicos naturais, como a água de coco, ou industrializados.

Suco revigorante

Karin Honorato também ensina a receita de um suco – à base de beterraba, cenoura, maça, hortelã e gengibre – para amenizar os efeitos do álcool. “A beterraba possui a betaína, que ajuda a desintoxicar o fígado. A maçã e a cenoura, além de terem fibras que mantêm a glicose por mais tempo no sangue, ajudam a dar uma saciedade, sem deixar o organismo pesado. O hortelã, que é digestivo, ajuda a desintoxicar. E o gingibre, estimula a circulação e leva para as células, rapidamente, os nutrientes que o organismo está precisando”, esclarece. Bata todos esses ingredientes crus, na quantidade desejada, adicionando água ou água de coco. Segundo a nutricionista, o ideal é ingerir o suco assim que for feito.

Leia também:  Saiba como está a pesquisa da vacina brasileira contra a dengue

Mitos
A especialista também fala sobre os mitos que existem em torno da ressaca. Karin Honorato afirma que não há como determinar qual quantidade de bebida é preciso ingerir para acordar de ressaca no dia seguinte, pois cada organismo reage de uma maneira ao consumo do álcool. A especialista descarta o misto sobre a mistura de bebidas. “Isso não faz a diferença na ressaca. O problema é que cada bebida tem um teor alcoólico e uma misturada à outra aumenta o teor cada vez mais. O que conta é a quantidade de álcool que vai interferir no seu fígado”, afirma. Já em relação ao conselho de muitas pessoas sobre comer enquanto se bebe, Karin Honorato está de acordo. Mas, o ideal é consumir alimentos leves e em poucas quantidades.

Leia também:  O que é obstrução urológica, problema que atingiu Michel Temer
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.