Onça em atendimento no CCZ- Foto: Varlei Cordova/AGORA MT

A onça-parda encontrada após ser atropelada em uma rodovia próximo a Rondonópolis, foi sacrificada. Conforme o Instituto Nacional do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), o principal fator que levou à eutanásia do animal foi que a onça perdeu muito peso por não aceitar a alimentação oferecida pelos veterinários.

De acordo com César Soares, coordenador do Departamento de Fauna do Ibama, o animal apresentava várias feridas, que surgiram por conta do longo tempo em que permaneceu imobilizado. Segundo ele, a autorização para a eutanásia da onça só aconteceu na última semana, depois que os veterinários fizeram um laudo técnico. “Eu estava viajando quando fui informado, não havia mais o que fazer porque perdeu muito peso. Ele não conseguia se alimentar”, explicou.

Leia também:  Detran Rondonópolis atende de forma reduzida motoristas com CNH próximo ao vencimento

Segundo o representante do Ibama, apenas 3% dos animais silvestres resgatados após atropelamentos possuem chance de voltar a seu habitat, outros 15% sobrevivem, mas ficam mutilados e dependentes de cuidados humanos. O restante não resiste aos ferimentos e acaba morrendo.

Ainda conforme Soares, providências devem ser tomadas para diminuir o registro de atropelamentos de animais silvestres. “A partir do ano que vem, devemos cobrar dos órgãos concessionários que pensem em alternativas para reduzir esses casos. Uma delas pode ser que haja uma salvaguarda em alguns órgãos”, explicou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.