Quatro cidades de Mato Grosso figuraram na lista das mais violentas do Brasil, de acordo com o Mapa da Violência 2012, apresentado pelo Instituto Sangari, baseado em informações dos Ministérios da Justiça e da Saúde.

Entre os anos de 2008 a 2010 elas apresentaram taxa de homicídio entre 52,5 a 70,2 para cada 100 mil pessoas. Pela ordem, Colniza, Nova Bandeirantes, Várzea Grande e Comodoro são as mensuradas no ranking que avaliou o desempenho naquelas localidades onde a população supera os dez mil habitantes.

De acordo com o balanço, Colniza, município a 1.065 quilômetros de Cuiabá, é a cidade de Mato Grosso com a maior taxa de assassinatos na comparação com os demais pontos do estado. Mesmo apresentando queda no número de mortes violentas entre os anos de 2008 e 2010, a taxa média de 70,2 mortes para cada 100 mil habitantes fez o município ocupar a posição de número 54 do ranking nacional e a primeira no estado.

Leia também:  Mototaxista é preso e assume em áudio ter agredido companheira com facão

De 2008 a 2010 as mortes foram 22,7% menores, passando de 22 para 17, respectivamente. Em 2009 os assassinatos totalizaram 20, segundo o Instituto Sangari. Em Colniza, a população chega a 26.381 habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Para o comandante regional da Polícia Militar, coronel Jadir Metello da Costa , a maior parte das mortes ocasionadas no município ocorre em função dos conflitos pela posse de terra. De acordo com o representante, em Colniza a maior parcela da população localiza-se na região rural. Apesar da cidade mato-grossense ser considerada a maior com taxa de assassinatos, tudo se deve em função da metodologia adotada pelo instituto, avalia Metello.

“As coisas já foram bem piores. Hoje, vemos que está bastante controlado, pois estamos trabalhando em cima dos conflitos agrários que envolvem terras. Várias ações em conjunto com o Ministério Público têm evitado essas ocorrências”, declarou, em entrevista ao G1. Além do perímetro urbano, a Polícia Militar está encarregada de atender ainda as ocorrências que ocorrem nos distritos de Guariba e Três Fronteiras, distantes a 150km e 300 km da sede da cidade.

Leia também:  Motorista invade trecho interditado e mata trabalhadores no RJ

Já Nova Bandeirantes, a 980 km de Cuiabá, registrou taxa de homicídio de 61,2 para 100 mil pessoas. As mortes passaram de nove em 2008 para oito em 2010, segundo o levantamento. Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, o número de assassinatos mostrou-se maior em relação às duas primeiras cidades. No entanto, apresentou taxa de homicídio de 52,8, sendo a 132ª do ranking nacional.

A última cidade de Mato Grosso foi Comodoro, a 677 quilômetros da capital, onde segundo o Instituto Sangari, a taxa de mortes ficou em 52,5, sendo a 138 no ranking do cenário nacional.

Estado
De acordo com a pesquisa, em Mato Grosso houve queda na taxa estadual de homicídios de 38,5 para 31,7 em 100 mil habitantes entre 2001 e 2010. Para o instituto, o fato pode ser explicado pelo declínio observável nos dois extremos de tamanho dos municípios.

Leia também:  Detran iniciou primeira turma de Pilotagem Segura a motociclistas na Capital

O único município com mais de 500 mil habitantes, Cuiabá, cujas taxas têm uma significativa queda: passam de 69,5 para 40,1 homicídios em 100 mil habitantes, o que representa um decréscimo de 42,3%.

“No outro extremo, municípios com até 50 mil habitantes, também apresentaram quedas variadas”, citou o instituto, durante a pesquisa.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.