Nos últimos tempos vemos a situação no Brasil com relação a educação de uma forma um tanto quanto depreciativa, onde contamos ainda com um histórico que contribuiu para essa tal situação. Será por que contamos com uma educação tão ínfima e decadente?  Será devido as regiões, culturas, investimentos, prioridade zero, claro que cada um desses fatores contribuíram, mais ainda falta o principal e creio eu o mais importante para que esse tema seja levado a sério, é a atenção para com esse assunto com que lidamos com o futuro do país. A educação nada mais é do que isso, prepararmos as pessoas para o futuro, e qual é esse futuro que queremos deixar para as crianças? É preciso capacita-las e desenvolve-las ao máximo que puder, para se tornarem pessoas com total preparo acadêmico e íntegro para lidar com o mercado de trabalho e social. Há algum tempo atrás o senador Cristóvão Buarque propôs uma lei para que os filhos de políticos com cargos efetivos estudassem em escolas publicas, e isso gerou uma série de repercussão diante sua fala. Já que os políticos de certa forma dizem que lutam para melhorar um pouco que seja a educação, porque não colocar seus filhos para poder ver realmente as condições. É isso que o tema gera. Sabemos das necessidades mais não tomamos as atitudes cabíveis para que isso mude. Países como Coréia, Japão entre outras economias globais, as crianças aprendem sobre administração financeira logo no inicio de sua vida escolar e isto não é exagero, pois temos que ver como disse no inicio, preparar as crianças para o futuro. Nos últimos tempos vemos que o Brasil está vendo a educação como uma fonte rentável, onde as faculdades particulares estão cada vez mais preocupadas com seus ganhos e diminuindo a qualidade educacional, as faculdades públicas e federais constantemente estão em greves e as escolas passam seus alunos de ano sem estarem capacitados a isso. O Brasil graças a Deus esta ganhando um destaque e respeito econômico-social muito forte em relação aos outros países, e isso é ótimo, mais do que justo ganharmos o respeito, mas não podemos ficar taxados como o país da miséria educacional, nem é preciso falar de como ficamos frustrados ao ver todo esse dinheiro sendo injetado na copa onde daria para sanar praticamente todos os problemas do Brasil como a educação e saúde que são as mais emergentes. O Brasil só irá se destacar no mundo inteiro não quando se tornar a maior potência econômica, nem social, nada disso, só iremos ser referência mundial quando o Brasil se tornar a maior potência educacional do mundo.

Leia também:  Rim, esse esquecido

 

José Olavo Pio

Acadêmico de Engenharia Civil – em Rondonópolis

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.