Foto: Internet

As exportações de soja do Brasil fecharam 2011 com um recorde de 32,97 milhões de toneladas, crescimento de 13,6 por cento na comparação com 2010, de acordo com dados do governo compilados pela Reuters. Após ter colhido uma safra recorde em 2011 superior a 75 milhões de toneladas, o Brasil manteve relativamente fortes as exportações mesmo em períodos em que normalmente a oferta é escassa, como é o caso de dezembro.

No mês passado, as vendas externas do grão somaram 1,47 milhão de toneladas, uma queda na comparação com novembro (1,75 milhão), mas aumento expressivo na comparação com dezembro de 2010, quando o país embarcou somente 292,6 mil toneladas, informou nesta segunda-feira a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

As vendas externas de soja do Brasil normalmente caem significativamente no final do ano, já que o período é de entressafra. Além de ter colhido uma safra recorde, o Brasil contou ainda com uma forte demanda pelo grão, especialmente da China, que responde por quase 70 por cento das exportações brasileiras.

Leia também:  Horário de verão pode ter seus dias contados para não mais existir no Brasil

Para este ano, as exportações do grão deverão seguir crescentes, segundo avaliação da Abiove, associação que representa a indústria brasileira, que avalia que o país asiático continuará demandando fortemente o produto. As exportações do complexo soja (incluindo grão, farelo e óleo) deverão somar um recorde de 23,8 bilhões de dólares em 2011, contra 17 bilhões de dólares em 2010, devido a maiores volumes e preços na exportação, segundo a Abiove. O governo norte-americano avalia que o Brasil poderá se tornar o maior exportador mundial de soja na temporada 2011/12, superando os EUA, mas para isso o país precisa confirmar as expectativas de uma nova colheita recorde. A nova colheita, que vem enfrentando adversidades climáticas no sul, começará neste mês pelo Centro-Oeste.

Leia também:  Uma das crianças dada como morta na tragédia em MG está viva

CAFÉ, MILHO, AÇÚCAR

As exportações de café verde somaram 2,63 milhões de sacas de 60 kg em dezembro, queda de 150 mil sacas ante novembro. Na comparação com dezembro do ano passado, quando as exportações somaram 3 milhões de sacas, a queda foi maior entre outros motivos porque o país em 2010 exportava uma safra de alta no ciclo bienaual do arábica. Em 2011, a colheita foi de baixa no ciclo.

Em 2011, o Brasil fechou o ano com exportações de 30,15 milhões de sacas de café verde, segundo dados do governo e do setor privado, leve alta na comparação com os 29,66 milhões de sacas de 2010. As exportações de milho somaram 814,3 mil em dezembro, menos da metade do que o Brasil exportou no ano passado no mesmo período, levando o país a fechar 2011 com exportações de 9,46 milhões de toneladas, contra 10,8 milhões de toneladas em 2010, ano que foi um dos melhores para as vendas externas do cereal.

Leia também:  População carcerária feminina cresce 700% em dezesseis anos no Brasil

Já as exportações de açúcar (bruto e refinado) do Brasil fecharam o ano com queda de cerca de 10 por cento, para 25,33 milhões de toneladas, num ano em que o centro-sul do país registrou a primeira queda na produção de cana em 11 anos por conta de problemas climáticos e fracos investimentos na renovação dos canaviais.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.