O transporte está parado em Rondonópolis devido às chuvas que têm atrasado a colheita de soja na região. Os pátios das transportadoras da cidade estão lotados de caminhões aguardando cargas. Com tantos caminhões a disposição o período da safra deve ser menor este ano.

O gerente de frota, Adenir Paulo Bossa, afirmou que a colheita da soja estava prevista para começar em janeiro e que todas as empresas de transportes estavam programadas para isso, mas que com o atraso também vem os prejuízos para o setor. “Programamos a parada do fim do ano e esperávamos cargas para janeiro, mas como tem chovido muito está tudo parado. Os custos da empresa não param. Nessa época procuramos dar férias aos funcionários e não fazemos contratações”, fala.

Leia também:  Ecopontos viram lixões e moradores reclamam do descaso no Sagrada Família

Adenir explica que com o atraso vai ter acúmulo de caminhões para carregar e descarregar, além do tráfego de veículos que deve ficar bem intenso quando começarem a surgir às cargas. Outro problema apontado pelo gerente de frota será em relação ao preço do frete que este ano não deve atingir o pico. “Com a grande oferta de caminhões se terá uma competividade maior o que faz com que o preço não venha a reagir”, alega.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.