Os diretores da rede municipal se reuniram na tarde desta sexta-feira, na sede da Secretaria de Educação para pedir o não atraso do ano letivo que foi anunciado ontem pela secretária de Educação de Rondonópolis, Marilda Rufino. Apesar da mobilização, a gerente do Departamento de Recursos Humanos da Secretaria de Educação, Valdelice Oliveira, afirmou que a data do início das aulas permanece para cinco de março e que as providências já estão sendo tomadas para que isso aconteça dentro da legalidade.

Os diretores questionaram como será feito a reposição dessas aulas e se dará tempo de fechar o ano letivo ainda em 2012. A presidente da Associação de Diretores de Escolas Municipais de Rondonópolis (Adesmur), Mara Xavier, afirmou que a categoria não vai repor aulas aos sábados e nem vai perder o direito das férias de 15 dias em julho, então o que resta é emendar um ano no outro.

Leia também:  Inscrições para expositores já estão abertas

“Nós queremos que as aulas comecem na data que foi programada conforme uma normatiza acertada por uma comissão”, fala. Mara falou que os mais prejudicados serão os alunos e os pais. “Os pais já sabiam que as aulas começariam em fevereiro se programaram para isso e agora aqueles que não têm onde deixar suas crianças vão fazer o que?”, conta.

A gerente de departamento comentou que isso ainda está sendo analisado, mas garantiu que o ano letivo vai sim terminar ainda em 2012. “Estamos elaborando o calendário como todo o ano é feito, temos que fazer a recontagem das férias dos funcionários, ou seja, apenas na quarta-feira que vem teremos informações mais concretas”, diz.

Leia também:  Peixes aparecem mortos no Ribeirão Arareau e mau cheiro intriga moradores

O motivo dado pela secretaria para prorrogar as aulas foi o de que as escolas precisariam de reformas, além dos professores que passaram no concurso e que ainda não foram chamados. Valdelice explicou que desde o ano passado o departamento de infraestrutura elaborou um cronograma para realizar os reparos nessas escolas. “Há um número expressivo de reparos e devido às chuvas, as reformas estão ficando atrasadas. Os professores que passaram no concurso serão chamados para preencher as vagas e isso também vai levar tempo”, fala.

O vereador Reginaldo, presidente da comissão municipal de Educação, comentou que tudo isso poderia ter sido feito antecipadamente para evitar problemas. Reginaldo esclareceu que não há nada da Educação pendente na Câmara como havia sido dito pela secretária, Marilda Rufino, “Se houve atrasos posso garantir que não foi por parte da Câmara e sim do administrativo. A única coisa que queremos agora é que o prefeito tome alguma decisão, mas de forma clara e que atenda as necessidades”, fala.

Leia também:  Plano de Desenvolvimento Institucional é tema de workshop realizado na Prefeitura

Mara Xavier explicou que a categoria vai aguardar esclarecimentos da Secretaria de Educação até quarta-feira e caso isso não aconteça os diretores vão tentar marcar uma reunião com o prefeito Zé Carlos do Pátio para que ele ouça a categoria.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.