A Escola Estadual Odorico Leocádio da Rosa ganhou destaque nacional na área da educação na matéria publicada este mês, na edição número 24 da revista Escola Pública, o texto destaca as experiências positivas adotadas na unidade de educação, no combate a evasão escolar e melhoria da qualidade do ensino.

Conforme a matéria, até o ano de 2008 a Escola registrava alto índice de falta dos alunos. A frequência começou a aumentar com a reformulação do Regimento da Escola que estabeleceu regras mais rígidas com o aval da Promotoria Pública. Entre as medidas está o encaminhamento para o Conselho Tutelar dos alunos que faltavam mais de três vezes às aulas, sem justificativa.

O motivo apontado para a alta evasão deve-se ao fato de boa parte dos alunos serem filhos de caminhoneiros. Muitos chegavam a se ausentar da unidade por cerca de duas semanas, por estarem viajando com os pais. A revista ainda cita que escola possui 1.050 alunos, sendo 70% oriundos de famílias de baixa renda.

Leia também:  MEC vai apoiar formação de professores para educação de surdos, diz ministro

Outra medida citada para diminuir as faltas foi à colocação em prática da gestão democrática. Nesse processo os pais são chamados constantemente a opinar sobre o andamento das ações pedagógicas além de contribuírem na elaboração das diretrizes anuais. Pais e alunos também respondem a constantes questionários sobre a satisfação com o trabalho desenvolvido por professores, funcionários e direção da unidade.

Entre as sugestões apontadas pela comunidade foi à climatização das salas de aula, que já ocorre em 70% dos espaços da escola. Sugestões dadas pelos alunos e já colocadas em prática, a realização de gincanas e rádio escola. Essas medidas reforçaram a permanência dos alunos na unidade e melhoria do processo de ensino aprendizagem.

Leia também:  Goiás é o primeiro estado a testar a CNH digital

Com a maior frequência, a matéria cita que a Escola passou a intensificar a participação dos alunos com dificuldade de aprendizagem nas aulas de articulação, provenientes do Ciclo de Formação Humana, adotado nas Escolas Básicas do Estado. Em 2008, 50% dos alunos da unidade tinham a necessidade de apoio dos professores articuladores, nas aulas que ocorrem no contraturno. Em 2010 caiu para 20,8%. Nesse período, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nos anos iniciais da unidade passou de 4,5 em 2007, para 6,7 em 2011 e nos anos finais, de 4,4 para 5,4.

Política Educacional

A secretária adjunta de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Fátima Resende, destaca que as ações adotadas pela Escola Odorico são diretrizes orientadas pela Seduc a todas as 727 unidades de ensino do Estado. “Desde 2007 a Secretaria orienta, por exemplo, que as escolas acionem os Conselhos Tutelares devido ao excesso de faltas”, citou

Leia também:  Entidades vão definir obras com a municipalidade

“O Ciclo de Formação Humana com a adoção das aulas de articulação e a gestão democrática com participação de pais, alunos, funcionários e professores na construção do processo de ensino aprendizagem são diretrizes adotadas pela a Educação de Mato Grosso há algum tempo. E o bom exemplo da Escola Odorico da Rosa demonstra o sucesso da política educacional do Estado”, disse Fátima.

Ela cita ainda que as experiências positivas obtidas no Ensino Fundamental no Estado refletem no Ensino Médio. “Temos como exemplo a pesquisa recente do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), que aponta Mato Grosso como terceiro melhor colocado no país na taxa de frequência escolar líquida de estudantes do Ensino Médio (de 15 a 17 anos)”, finalizou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.