O ano de 2011 fechou com alta no índice de inadimplência em Rondonópolis, o diretor de serviços e produtos da Câmara de Dirigentes Lojistas de Rondonópolis (CDL), Maurício Pugas, observa que o percentual está acima da média tolerada.

De acordo com Pugas, entre 4% a 8% de registros negativos é tolerável, porém o ano fechou com acréscimo de 13% em relação a 2010, deduzindo os 7% dos consumidores que regularizaram as pendencias no comércio.

O diretor acreditava que os consumidores iriam utilizar o pagamento do 13º salário para liquidar dividas anteriores, contudo a expectativa não foi correspondida. “No dia 08 de dezembro havia R$ 20.813 milhões em inadimplência, o último relatório, no dia 03 de janeiro, mostra um acumulo de R$ 20.496 milhões, esperávamos que a redução fosse maior”, relatou Maurício.

Leia também:  Com mandado de prisão suspeito acusado de arrombar casa e estuprar mulher é preso em MT

Dentre as causas mais comuns para a inadimplência está a prática do empréstimo do nome para que uma terceira pessoa realize compras, a falta de planejamento e o impulso diante das promoções.

Maurício disse que a inadimplência é um dos fatores que colabora com o fechamento de empresas nos cinco primeiros anos de abertura de um estabelecimento, pois compromete o capital de giro do empresário. A falta de pesquisa de mercado é outro fator negativo para os novos empreendedores.

A CDL oferece constantemente aos comerciantes palestras e treinamentos para evitar o aumento no índice de nomes com restrições no Serviço de Proteção de Crédito (CDL).

O diretor sugere que as pessoas procurem os credores para negociação , pois além de contribuir com o bom funcionamento do comércio local irá resultar, principalmente, na exclusão do consumidor na lista negativa do SPC.

Leia também:  Festrilha 2017 supera expectativas e atrai mais de seis mil pessoas em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.