Com projeto de lançar candidatura própria em Rondonópolis o Partido dos Trabalhadores (PT) anda de olho na possibilidade de uma candidatura de Carlos Bezerra (PMDB) para prefeito de Rondonópolis.

O fato é que se Bezerra realmente for candidato e se eleger prefeito, o primeiro suplente de deputado federal assumiria a vaga imediatamente e definitivamente, acontece que o primeiro suplente é o atual secretário de educação de Mato Grosso, Ságuas Moraes (PT), ligado ao grupo que comanda hoje o PT rondonopolitano e ao ex-deputado federal Carlos Abicalil.

Ságuas chegou a assumir nesta legislatura como deputado federal, mas, depois do julgamento de Nilson Leitão (PSDB), liberado pela justiça por entender que ele não se enquadrava na Lei da Ficha Limpa, perdeu o mandato e assumiu pela segunda vez, a primeira foi no governo Blairo Maggi (PR), a cadeira de secretário estadual de educação.

Leia também:  População brasileira vai "compreender aumento de impostos", diz Temer

O Partido dos Trabalhadores, desde as eleições passadas vivem um racha sem precedentes em Mato Grosso e também em Rondonópolis, onde a confusão instalada tem prejudicado o desempenho eleitoral do partido, outro fato é que  há muito tempo o PT vem a “reboque” de outras siglas, já que não tem candidatura própria para prefeito desde 1986, quando Márcio Couto obteve 500 votos e a eleição foi vencida pelo atual deputado estadual J. Barreto (PR).

O PT rondonopolitano tem como pré-candidatos em Rondonópolis, o ex-vereador Juca Lemos, o professor da UFMT Paulo Isaac e o PRF Fernando de Souza, resta saber, se sob o comando regional de William Sampaio, o PT apostaria mais uma vez em ficar fora do páreo em Rondonópolis, para satisfazer mais uma vez a fome de cargos de seus dirigentes.

Leia também:  Ninguém me destruirá diz Temer as vésperas da decisão de Janot
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.