Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

O jovem Alan Cordeiro Ferreira (21) foi atingido por um tiro na nuca por volta das 15:45 hs no bairro Dinalva Muniz .

Alan deu entrada no Hospital Regional com o quadro clínico considerado gravíssimo e pouco depois de ser levado ao centro cirúrgico não resisitu e morreu. O jovem foi atendido pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), que apesar de não ter médicos atuando na central de regulação e nas ambulâncias continua a prestar o serviço.

Alan foi atendido por dois técnicos de enfermagem e um bombeiro, que atua como motorista.  

SEM MÉDICOS

Eram 07h00 da manhã deste domingo (08/01) quando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) passou a trabalhar sem médicos, tanto na Central de Regulação, quanto na ambulância, o serviço que já funcionava de forma precária, já que segundo denúncia dos profissionais, ambulâncias, equipamentos e até a central telefônica de atendimento estariam em péssimo estado de conservação.

Leia também:  PRF e PF fazem ação e apreendem drogas em Rondonópolis

Segundo os profissionais de enfermagem que estão cumprindo normalmente a escala de serviço, toda a regulação do serviço está sendo feita por enfermeiros, que tentam suprir a falta dos profissionais.

Em entrevista ao AGORA MT, o coordenador do SAMU, Adriangelo Magalhães, que se encontra no sítio de parentes no município de São José do Povo, confirmou, por telefone, a falta de médicos, “A médica de plantão deste domingo, passou mal e foi internada na Materclin, e em cima da hora é difícil encontrar médicos para assumir, o plantão, mas o problema já vai ser sanado, na troca de plantão e outro profissional vai assumir a regulação”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.