Arquivo Agora MT

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rondonópolis (Sispmur) informou que apoia a decisão dos diretores de não aceitarem a prorrogação do início das aulas para março, já que a data (seis de fevereiro) havia sido discutida no ano passado e todos se programaram para cumpri-la. De acordo com o presidente do Sispmur, Rubens Paulo, essa foi uma maneira que o prefeito Zé Carlos do Pátio encontrou para fugir das negociações com os servidores.

Para Rubens essa decisão de adiar as aulas beneficia apenas o prefeito. “Prejudica os funcionários que vão deixar de receber por mais um mês, os alunos que vão deixar de ter os dias de descanso para repor as aulas e os pais que não tem onde deixar seus filhos”, fala.
Rubens comentou que desde agosto do ano passado que a categoria vem tentando apresentar as pautas de reivindicações ao prefeito, mas que até hoje ele não quis recebe-los. “Deixou tudo para última hora, porque sabe que em sete de abril inicia o ano eleitoral e como prefeito não pode tomar algumas atitudes devido às eleições”, diz.

Leia também:  Banhistas encontram corpo em meio a pedras na Cachoeira do Escondidinho

Segundo o presidente no ano passado a categoria não recebeu o reajuste salarial sobre a inflação de janeiro e fevereiro e isso pode acabar se repetindo. “Só em março que foi dado o que é de direito e ainda isso apenas aconteceu com a intervenção dos vereadores que ajudou na causa”, alega.

Na quarta-feira, a Associação de Diretores de Escolas Municipais de Rondonópolis (Adesmur) vai realizar mais uma reunião para decidir o que será feito e os representantes do Sispmur estarão presentes para dar apoio ao movimento. No fim de janeiro, o Sindicato vai realizar uma assembleia para discutir a pauta de reivindicações e o posicionamento sobre a prorrogação das aulas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.