Foto: arquivo / AGORA MT

Os vereadores derrubaram o veto do prefeito José Carlos do Pátio por dez votos à zero sobre a lei orçamentaria do município durante uma sessão extraordinária realizada hoje.  O presidente da Câmara Municipal, Ananias Martins de Souza Filho, afirmou que os vereadores analisaram bem o orçamento e que as alterações que foram feitas não foram à toa, mas sim necessárias para o município. “Nenhum vereador vai ficar de joelhos para a vontade do prefeito, temos condições e conhecimento do que estamos fazendo”, diz.

Durante a sessão, Ananias, criticou a postura do secretário de planejamento, Gilson Oliveira, que falou nos meios de comunicação que não seria da competência dos vereadores alterarem o valor do orçamento. “O secretário Gilson Oliveira que ocupa o cargo interinamente, não tem condições de falar que os vereadores são incompetentes, mesmo porque ele é formado em técnico de segurança uma área que não tem nada a ver com a sua função e está dando opinião na lei orçamentária”, alega.

Leia também:  Secretária de Saúde atende solicitação de vereador para reforma em PSF’s

Segundo Ananias as emendas mantidas após a votação  foram coletadas durante as audiências públicas promovidas pela Câmara nos meses de outubro e novembro. Ao contrário de anos anteriores, em que era comum ultrapassar a marca de 100 emendas por orçamento, os vereadores optaram por colocar situações urgentes e de fácil realização, para não gerar expectativa na população e também não prejudicar a administração municipal. Para terminar seu discurso o presidente da Câmara usou de uma citação bíblica para classificar a crítica do secretário. “Perdoa pai, ele não sabe o que está dizendo”, fala.

O vereador Mohamed Zaher também criticou a atitude do secretário de planejamento, dizendo que “o secretário deveria prestar mais atenção antes de falar mal dos vereadores, já que a Casa é preparada para fazer alterações no orçamento”, alega.

Leia também:  Câmara Municipal aprova desmembramento de área para construção da Unemat em Rondonópolis

Após a derrubada do veto, a lei orçamentária volta para o poder executivo e se caso não houver a aprovação do prefeito, a própria Câmara pode sancioná-la.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=VrR_SVomjlA&feature=youtu.be[/youtube]

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.