O último cassado em Mato Grosso foi o prefeito Júlio Ladeia (PR), de Tangará da Serra Foto: MIDIANEWS

As cassações em Mato Grosso fazem do Estado o quarto em maior número de prefeitos que perderam os cargos desde 2008. Dos 141 eleitos, 23 (16,31%) já foram cassados. A maioria é acusada de compra de votos e abuso de poder econômico. Mato Grosso está atrás apenas de estados como Piauí, com 50 prefeitos cassados, Minas Gerais (38) e Bahia (32). Diferente da realidade local, em nível nacional parte considerável (38,1%) dos 274 cassados é acusada de improbidade administrativa e não crime eleitoral.
Otmar de OIiveira/ Arquivo
Júlio César Ladeia ex-prefeito de Tangará da Serra foi o último cassado em Mato Grosso por improbidade

O último cassado em Mato Grosso foi o prefeito Júlio Ladeia (PR), de Tangará da Serra. Ele já havia entrado no ranking depois de perder o mandato por abuso de poder econômico na campanha. Assim como a maioria dos cassados, conseguiu reverter a decisão na Justiça antes de condenado pela Câmara de Vereadores no mês passado sob acusação de falta de decoro por causa da contratação do instituto Idheas. O prefeito Wilson Virginio de Lima (PR), de São Pedro da Cipa, também foi cassado, mas reverteu a situação judicialmente em julho do ano passado.

Leia também:  No primeiro semestre, população envia 11 mil mensagens à Rede de Ouvidorias em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.