A jovem Michele de Oliveira, 29 anos, estava grávida de seis meses quando descobriu na manhã desta quinta-feira (23) depois de uma ultrassonografia que carregava um feto morto. A família de Michele acusa um médico da Santa Casa de ter errado no diagnóstico, o que levou a morte do bebê.

O pai do bebê, Welton da Silva Aguiar, acompanhou a esposa até o médico hoje para fazer a que seria à última ultrassonografia antes do nascimento da criança. “Como essa seria a última resolvi vir com ela para ver o estado da criança e daí veio à surpresa o coração do bebê não batia mais e o médico afirmou que a criança estava morta”, diz.

Welton contou que a esposa sentiu dores fortes na barriga em 10 de fevereiro o que a levou a procurar a Santa Casa na mesma data, chegando no local foi atendida pelo médico plantonista Lindomar Damas Freitas que afirmou que a jovem estaria apenas com uma dor de estômago, receitou a ela um Buscopan e mandou ela ir para casa.

Leia também:  Em ônibus, Polícia localiza mochila recheada de cocaína

Depois disso a jovem percebeu que o bebê não estava se mexendo e procurou o Posto de Saúde do Jardim Sumaré, onde fazia o pré natal com o médico Willian Borges, mas como era feriado ele não foi encontrado. “Uma técnica em enfermagem que a atendeu alegou que havia ouvido o coração bater, então ela foi para casa despreocupada e só hoje resolvemos fazer uma última ultrassom para confirmar o sexo do bebê e descobrimos a tragédia”, fala.

De acordo Welton o médico que fez o exame falou que o feto estava morto a cerca de dez dias, já que a cabeça do bebê estava em estado de decomposição. Patrícia Pereira Sales (que seria a madrinha do bebê) contou que acompanhava Michele durante o pré natal e que o bebê que era uma menina estava sendo aguardada com ansiedade . “Já havíamos comprado todas as coisas, ela ia se chamar Ana Júlia. Queremos justiça isso não pode ficar assim, o médico da Santa Casa deveria ter feito uma ultrassom nela no dia que sentiu dores e ele não fez nada, mal olhou para Micheli e a mandou para casa”, afirma.

Leia também:  Empresária acusada de mandar matar irmãos em Rondonópolis tem júri popular anulado pelo STJ

Patrícia explicou que Micheli está internada na Santa Casa desde as 11h de hoje. “Não nos deixaram entrar para vê-la, mas o que ficamos sabendo é que deram um remédio e que ela deve aguardar até a saída do feto. Disseram que ela chora muito devido a perda, mas infelizmente temos que ficar aqui fora aguardando notícias e sem ao menos poder estar ao lado de Micheli nesse momento”, desabafa.

A família afirmou que quer justiça e que vai processar o médico Lindomar Damas Freitas pelo seu descaso com a jovem. A equipe de reportagem do site AGORA MT entrou em contato com a Santa Casa para falar com o médico acusado, mas a recepcionista informou que Lindomar não se encontra na Santa Casa e que não teria o telefone do médico para passar. Atendente informou ainda que apenas amanhã Lindomar estará de plantão na unidade.

Leia também:  Dia 'D' da campanha de vacinação contra a gripe acontece em Rondonópolis

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.