Wladimir Perry, juiz designado da 1ª Vara Criminal de Rondonópolis. Foto: Varlei Cordova/AGORA MT

Responder as expectativas da população quanto aos crimes contra a vida, esse é um dos objetivos do mutirão para julgar os presos que estão hábitos a passar pelo Júri Popular. A ação do juiz designado da 1ª Vara Criminal de Rondonópolis, Wladimir Perry, tem início nesta quinta-feira (02/02) no Tribunal do Júri de Rondonópolis.

Perry afirma que existem cerca de 20 processos, de pessoas que já se encontram recolhidas no presídio da Mata Grande e aguardam julgamento. O juiz explicou todo o preso tem o direito de ser julgado e o mutirão também visa dar celeridade no processo. De acordo com o magistrado há presos que estão no Mata Grande há três anos.

Leia também:  Casos de violência no Brasil em 2015 matou mais que ataques terroristas no mundo em 2017

Dentre os casos que vão a Júri Popular está o processo de Geovane Cardoso da Silva (24) acusado pela morte de Diego Oliveira Alencar Lima (26), o crime aconteceu em 2010 de frente a uma casa noturna na Avenida Lions Internacional, onde Diego foi atingido com um tiro na cabeça.

O mutirão será realizado em duas fases, uma entre os dias 02 e 13 de fevereiro e a segunda do dia 26 a 29 de fevereiro. O juiz informou que em abril será realizado o 2º mutirão e se for possível até o final do ano serão quatro mutirões.

O juiz ressaltou que é válida a participação da sociedade nos julgamentos, onde a decisão da população, por meio dos jurados, é soberana.

Leia também:  Cuiabá | Desarticulada quadrilha envolvida em furto, receptação e tráfico de drogas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.