Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

O proprietário do Restaurante Tropeiro, Leandro Moraes Ferreira, afirmou nesta segunda-feira (06/02) que é inocente de todas as acusações feitas pela Policia Civil na “Operação Cascalhinho”, deflagrada na última sexta-feira (03/02), que resultou em 10 prisões.

Leandro relatou que houve uma série de equívocos nas informações da polícia, como por exemplo, ser o mentor da quadrilha e a clonagem de cartões.

O empresário explicou que dos envolvidos na operação a única pessoa que conhecia era Sandrinalvo Santana Soares, bem antes que fosse preso. Quanto aos demais, Leandro disse que só teve conhecimento da existência das pessoas quanto esteve preso no anexo do presídio Major Eldo de Sá Corrêa ‘Mata Grande’, e foi enfático em afirmar que não tem nenhum envolvimento com a suposta quadrilha.

Leia também:  Dezembro Vermelho será marcado por campanha de conscientização para proteger contra a Aids e outras DSTs

Em relação aos cartões encontrados no restaurante, Leandro informou que foram deixados por clientes que costumam comer regularmente no escritório e depois comunicam que o pagamento está na conta, para pagar a dívida das refeições.

De acordo com Leandro, as munições encontradas no restaurante são referentes a uma arma que possuía, mas foi entregue à polícia há cerca de dois anos.

Onório Junior, advogado de Leandro, relatou que o empresário foi preso em flagrante por causa das munições encontradas para arma encontradas na guarita do estabelecimento e não tinha mandado de prisão expedido. “A prova da inocência de Leandro é o reconhecimento da juíza que determinou a soltou do empresário”, declarou o advogado.

Leia também:  Adolescente com passagens por roubos e tráfico é apreendido com maconha em Primavera
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.