O procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT) de Rondonópolis, Fábio Fernando Pássari, esteve juntamente com a Polícia Federal visitando o supermercado Big Master, na manhã desta sexta-feira, para verificar a situação dos 41 haitianos que chegaram na cidade para trabalhar na rede de supermercados.

O secretário administrativo do Ministério Público, João Bosco Carvalho Filho, afirmou que a situação analisada tanto pela polícia quanto pela promotoria constatou que a documentação dos haitianos está dentro da legalidade contendo o visto, CPF, RG e carteira de trabalho.

De acordo com João Bosco mesmo a situação estando regular nada impede que o Ministério Público do Trabalho continue acompanhando o caso. “Será aberto um procedimento para que o MPT acompanhe de perto a situação, inclusive as condições de trabalho e moradia desses estrangeiros”, fala.

Leia também:  Prefeitura paga salário, metade do 13º e injeta mais de R$ 20 milhões na economia local

A reportagem do site AGORA MT está tentando falar com a direção da rede de supermercados, mas até o momento ninguém quis se pronunciar sobre o assunto.

NA CAPITAL

Mais 29 haitianos chegaram em Cuiabá para trabalhar na construção civil. Os estrangeiros estão alojados em Nossa Senhora da Guia, distrito a apenas 30 quilômetros da Capital. A expectativa dos haitianos é conseguir guardar dinheiro para ajudar as famílias que ficaram em sua terra natal.

A entrada dos haitianos no país passou a ser monitorada desde o último dia 13 de janeiro, quando entrou em vigor a resolução que legaliza a situação dos haitianos que já estão no Brasil em busca de trabalho e prevê a liberação de 100 novos vistos por mês, em Porto Príncipe. Além de trabalhar, os novos moradores de Mato Grosso querem conseguir estudar, principalmente os haitianos mais jovens.

Leia também:  IPA: 66% dos rondonopolitanos deverão presentear no Dia das Mães

De acordo com a Superintendência Regional do Trabalho em Mato Grosso, em caso de contratação de estrangeiros no país, a empresa deve observar se há visto de trabalho. Ainda conforme a Superintendência, por regra, alguns cargos como piloto de avião e químico não podem ser ocupados por estrangeiros. Já em outras profissões, como médico e professor, é necessária uma comprovação da diplomação seja apresentada.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.