Foto arquivo Agora MT

A Secretaria de Estado da Saúde de Mato Grosso (SES/MT) identificou, pela primeira vez no Estado, a circulação do vírus do tipo 4 da dengue , na região Metropolitana. Devido à confirmação a Secretária por intermédio da Vigilância Epidemiológica está comunicando os serviços de vigilância epidemiológica municipais para que estejam atentos a possíveis novos casos suspeitos de dengue do tipo 4.

O coordenador do Centro de Controle de Zoonoses – CCZ, Edgar Prates, explicou que a situação da dengue passa a ser ainda mais preocupante com a circulação do tipo 4. “Fazia 25 anos que esse tipo de dengue não circulava no Brasil, ou seja, o nosso corpo não tem imunidade para combater esse vírus”, fala.

De acordo com Edgar a probabilidade é de que esta pessoa contaminada pelo tipo 4 tenha contraído a doença em outro estado, já que esse é um período de férias e as pessoas aproveitam para viajar.

Leia também:  CDL espera 500 ciclistas no passeio de domingo (21)

Edgar explicou que como não há imunidade ao vírus tipo 4 a pessoa contaminada corre um risco maior de ter complicações da doença. “Principalmente as que já tiveram outro tipo de dengue. Em 2009 e 2010 onde ocorreu um surto de dengue na cidade foram registrados apenas o tipo 1 e 2”, conta.

Para o coordenador é preciso que a população fique atenta. Após três dias com suspeitas de dengue é preciso procurar uma unidade de saúde. Além dos exames feitos através da sorologia também é preciso o isolamento viral para saber o tipo de vírus que a pessoa tem. Segundo o coordenador esse exame é feito em laboratórios de referencias, sendo que no Brasil existem apenas dois. “Mato Grosso é conveniado com um laboratório do Pará, para onde é enviado o lote de coletas. Desde janeiro apenas um caso de dengue clássica foi confirmado em Rondonópolis, no bairro Boa Esperança”, diz.

Leia também:  IFMT de Rondonópolis abre inscrições para curso técnico em administração

Até que não saia o resultado as pessoas receberam tratamento e depois serão comunicadas do tipo de dengue que tiveram. O Estado também deve ser avisado para que se monitore a situação nos municípios.

Por meio de nota a Secretaria de Estado da Saúde de Mato Grosso informou que o Estado continua no monitoramento por exame laboratorial na identificação dos sorotipos circulantes da dengue no Estado. Os municípios prioritários para a realização da pesquisa são Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Rondonópolis, Sinop, Barra do Garças e Alta Floresta. A Ação faz parte da estratégia de monitoramento da doença e também vai permitir saber se o vírus 4 da Dengue circula nestes demais polos de Saúde.O MT Laboratório está equipado e preparado para ação que consiste em promover e desenvolver a técnica do isolamento viral e identificação da tipificação do vírus da Dengue(DENV1, DENV2, DENV3 e DENV4).

Leia também:  Morre avó de Miss Jakelyne Oliveira

O Superintendente de Vigilância em Saúde da SES/MT, Oberdan Ferreira Coutinho Lira explica que “Todas as vezes em que há “troca” do vírus predominante, ou um novo vírus, há risco de epidemias porque parte da população não está imune a ele. Além disso, casos graves podem aumentar porque estão relacionados a sucessivas infecções por diferentes vírus da doença.

O sorotipo DENV4 não é dos mais agressivos, mas com a população Matogrossense 100% vulnerável, o perigo aumenta. Oberdan Lira explica ainda que a hemorragia por dengue não depende apenas da virulência do sorotipo, mas também da reação do organismo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.