Quanto vale a sua honra? Quanto vale a verdade? Para alguns apresentadores de programas de TV que se utilizam das emissoras para se promover politicamente, honra e verdade, vale tanto quanto é possível se pagar.

O fato não é novo e é fruto de uma sociedade, que vive praticando a lei de Gérson, aquela em que o correto “É levar vantagem”. Recentemente o AGORA MT em matéria assinada pelo jornalista Ricardo Costa, anunciou que a rede de supermercados Big Master, havia “importado” mão de obra, trazendo da cidade de Brasiléia no Acre, 41 haitianos, para trabalhar na rede, contrariando o acordo firmado com a prefeitura.

O acordo previa a contratação e a geração de empregos para os rondonopolitanos que vivem aqui e seria a contrapartida da rede, no investimento feito com o dinheiro da população de Rondonópolis na construção do prédio da rede de supermercados, aproximadamente R$ 150 mil utilizados na terraplanagem.

Leia também:  Menor é apreendido e veículo é recuperado em menos de 24 horas na capital

Ao se pronunciar sobre o fato levantado na matéria, o secretário de Ciência Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Valdemir Castilho, o Biliu (PSL), revelou que a prefeitura havia feito investimentos para a instalação da rede de supermercados e se mostrou indignado com a atitude dos empresários, “Estou decepcionado com estes empresários, facilitamos a vida deles e em contrapartida solicitamos apenas que eles gerassem empregos na cidade”.

Mas o que tudo isso tem a ver com honra e verdade e os apresentadores de televisão? Tudo a ver, já que na última sexta-feira (03/02), um apresentador candidato, no afã de amealhar alguns votos, teceu duras críticas aos empresários, que para espanto de todos os telespectadores, são patrocinadores da mesma emissora de TV onde o apresentador candidato trabalha.

Estranhamente, e depois de uma visita na segunda-feira (06/02) dos proprietários da rede de supermercado, com fez questão de ressaltar o apresentador, ele mudou o tom do discurso, agora os empresários praticaram um ato de humanidade e o site foi taxado de irresponsável pelo apresentador, mas em seguida, ao comentar outra matéria, o apresentador atacou a classe política afirmando que eles se vendiam com facilidade. Fica a pergunta, quanto vale a honra? Quanto vale a verdade?

Leia também:  Após 30 anos, moradores da Gleba do Rio Vermelho recebem títulos de posse

A notícia continua a mesma, a rede de supermercados, quebrou o acordo com a prefeitura, deixando de contratar 41 rondonopolitanos para importar mão de obra. O AGORA MT, em nenhum momento, acusou a rede de estar agindo na ilegalidade, contratando mão de obra barata ou sequer agiu com discriminação, apenas noticiou que a rede preferiu contratar empregados fora de Rondonópolis, uma terra que os acolheu com carinho, respeito e com investimento financeiro dos rondonopolitanos em sua obra.

Foram 150 mil Reais que poderiam ter sidos utilizados na aquisição, por exemplo, de ambulâncias para o SAMU, ou para garantir melhores condições de vida para as centenas de assentados em loteamentos, como o Alfredo de Castro, Ananias Martins ou Padre Lothar, os mesmos loteamentos que o apresentador diariamente avisa a prefeitura que faltam condições de sobrevivência para os que estão ali.

Leia também:  O Rico e Lázaro | Sammu-Ramat orienta Kassaia para que engravide de outro homem

São 150 mil Reais de impostos, pagos por moradores de Rondonópolis, que poderiam estar investidos na qualificação profissional de centenas de rondonopolitanos, que não conseguiram uma vaga na rede de supermercados e por isso estão desempregados.

Quanto ao apresentador candidato e a emissora, o site AGORA MT, não fará nenhum comentário, pois ainda não sabemos quantificar quanto vale a honra e muito menos vamos “mudar” a verdade por causa da manutenção de um espaço publicitário.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.