Foto: assessoria da Câmara Municipal

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal, representantes da Rede Sócio Ambiental, Grupo Arareau, ARPA, Aventureiros do Futuro, Associação do Lajeadinho, alunos da UFMT, a presidente do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear), Terezinha Silva Souza, e o diretor técnico da autarquia, Júlio Goulart, se reuniram para tratar de assuntos relacionados ao meio ambiente, em especial da rede de saneamento do município, do depósito da água dos esgotos nos rios sem nenhum tipo de tratamento, conservação das nascentes dos córregos e parques ambientais.

A reunião foi convocada pela Comissão Legislativa, que em conjunto com ONGs do município semanalmente tem debatido temas pertinentes ao Meio Ambiente. Indagada sobre o Programa de Aceleração e Crescimento (PAC I), a presidente do Sanear informou que as obras estão em andamento e previstas para terminar em outubro desse ano, quando Rondonópolis terá 90% da rede de esgoto concluída. “Nós fomos o único município em que as obras do PAC não foram paralisadas em nenhum momento e que devem ser concluídas em breve”, destacou.

Leia também:  Secretário nega documento que informa suspensão de voos por falta de combustível e segurança

Terezinha explicou todos os tramites e problemas enfrentados para conclusão da obra e o que a autarquia tem feito no que diz respeito à conscientização ambiental. E ainda pediu ajuda aos ambientalistas e vereadores para tentar conscientizar a população quanto aos cuidados com a rede de esgoto, alertando principalmente para que as pessoas não joguem lixo em locais indevidos e liguem de forma clandestina o esgoto antes da liberação. Ela informou que o órgão já vem trabalhando para conscientizar os moradores, no entanto, o ideal seria que esse trabalho fosse mais amplo. “Contamos com a ajuda de todos para massificar a conscientização, já que a maioria não sabe utilizar a rede de esgoto”, sugeriu Terezinha.

Quanto ao despejo do esgoto nos rios da cidade, o diretor técnico do Sanear falou que esse é um problema antigo, porém, garantiu que já vem sendo solucionado. “Além de tratar as nascentes, já começamos a trabalhar em alguns pontos para resolver essa questão do esgoto nos rios”, assegurou Júlio. Questionado sobre o mau cheiro que vem sendo sentido nas regiões próximas as estações de tratamento, o engenheiro técnico explicou que a maneira como é feito o tratamento está sendo mudada de forma a inibir o odor após a conclusão da nova estação.

Leia também:  No 1º semestre, aumenta os casos de sífilis em Rondonópolis

Durante a reunião, Terezinha agradeceu aos vereadores e ambientalistas a oportunidade de ter sido convidada para dar esclarecimento aos fatos. “Foi muito bom vir aqui e poder ser ouvida. Peço que isso continue acontecendo, para que possamos sempre explicar as dúvidas de todos vocês”.

Vereadores e ambientalistas também se colocaram a disposição para auxiliar e acompanhar os trabalhos. Para conhecer de perto as obras, na próxima semana o grupo volta a reunir em uma visita técnica a vários pontos da cidade, citados durante a reunião.

A reunião foi comandada pelo vereador Olímpio Alvis (PR), presidente da Comissão de Meio Ambiente, que também tem como membros os vereadores Adonias Fernandes (PMDB) e Reginaldo Santos (PPS), presentes na reunião.

Leia também:  Sesc Rondonópolis realiza desafio mix aeróbico neste sábado (08)
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.