Foto da assessoria

A 140ª sessão ordinária da Câmara Municipal de Rondonópolis foi suspensa nesta quarta-feira (8), por mais de uma hora, para que os vereadores pudessem se reunir com o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte de Mato Grosso (DNIT – MT), Luiz Antônio Garcia, o secretário municipal de Infraestrutura, Ronaldo Uramoto, e com a diretoria do Comitê Pró-Rodovias, para tratar da qualidade das obras da travessia urbana da BR-364/163.

A visita do superintendente do DNIT – MT aos vereadores se deu após uma denúncia do vereador Milton Mutum (PSD), durante seu discurso na tribuna da Casa de Leis. Desde então, a Comissão de Obras do Legislativo Municipal, presidida pelo vereador Lourisvaldo Manoel de Oliveira “Fulô” (PMDB), passou a apurar as obras que vêm sendo executadas há cerca de três anos e, que até o momento, ainda não foram finalizadas. Segundo Mutum, apesar da obra ainda não ter chegado ao fim, alguns trechos finalizados já estão deteriorados.

Leia também:  3ª Feciti começa nesta segunda com lançamento do Parque Tecnológico

Durante a reunião, Luiz Antônio foi questionado sobre o assunto e não negou que houvesse problemas. “Tem problema? Tem. É do projeto? É da execução? É no tráfego? São muitas as hipóteses”. Segundo ele, a priori, foram identificadas anomalias do pavimento que está trincando, provocando buracos e admitiu que isso remete a falhas, porém não há como detectar o motivo das falhas a olho nu.

O superintendente do órgão apresentou aos vereadores um plano de trabalho e diagnóstico e comprometeu-se a verificar as denúncias e informou que serão retiradas amostras do asfalto feito, que serão enviadas para análise, de forma a investigar todas as camadas de pavimento. Contudo, Luiz Antônio disse que as análises seriam feitas por empresas que estavam responsáveis por fiscalizar a execução das obras na travessia urbana da BR 364/163 no município, como Maia Melo Engenharia e Diefra Engenharia e Consultoria.

Por esse motivo, o presidente da Câmara, Ananias Filho (PR), questionou se o resultado dessas amostras não poderia ser tendencioso, por se tratar de empresas envolvidas no processo. Diante disso, o superintendente do DNIT – MT não descartou a possibilidade de contratar uma consultoria externa. “Primeiramente eu tenho que questionar as contratadas, se os resultados deles não nos convencerem nós podemos sim contratar uma empresa externa, mas antes disso, eu parto do princípio que deve esclarecer os fatos quem era a responsável por fiscalizar”, explicou.

Leia também:  Com ciúmes da ex-namorada, homem invade hospital e esfaqueia paciente em MT

O Superintendente também foi indagado sobre o motivo de terem sido feitos pagamentos a empresa responsável pelas obras apesar de se ter percebido os defeitos que estavam surgindo. Luiz Antônio respondeu que todos esses questionamentos já estão sendo feitas às empresas que estavam responsáveis pela fiscalização dos trabalhos no município.

O resultado da análise deve ser feita dentro de 30 dias, enquanto isso, as obras estão paralisadas. Ele ainda afirmou que as obras terão que ser refeitas e que os custos adicionais deverão ser arcados pelos responsáveis pelos erros. “Se for detectado que o problema aconteceu na execução, os custos serão da empresa que executou as obras, se o erro for constatado no projeto, o DNIT vai corrigir e apurar o que aconteceu para responsabilizar quem é de direito”, assegurou.

Leia também:  Acusado de roubo em Minas Gerais tem mandado de prisão cumprida em MT

Após a reunião o presidente da Casa de Leis garantiu que os vereadores irão continuar fiscalizando as obras na travessia urbana da BR 364/163 e que irão cobrar o resultado do diagnóstico prometido. “A Câmara mais uma vez vai fazer o seu papel e vai ficar de olho no trabalho que deve ser feito para investigar o motivo desses erros”.

Duplicação Rondonópolis-Cuiabá

Durante sua visita à Câmara Municipal, o superintendente DNIT – MT, Luiz Antônio Garcia, afirmou que os recursos para a duplicação do trecho da rodovia BR-364, que liga Rondonópolis a Cuiabá já estão garantidos e que as obras devem ter início ainda esse ano. Segundo o superintendente, ao todo são R$ 190 milhões para a execução da duplicação.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.