Ministra Gleise Hoffman discursa na IV Reunião da Comissão Nacional para a Rio+20. Foto Rio+20

Conscientização ambiental é o tema dos trabalhos realizados por escolas de Mato Grosso que serão apresentados durante a Rio+20, a Conferência das Nações Unidas que irá reunir em junho deste ano, no Rio de Janeiro, líderes mundiais para discussão da temática sobre um planeta sustentável.

Por meio de apresentação de vídeo as escolas estaduais desembargador Gabriel Pinto de Arruda (instalada na cidade de Cáceres), nas unidades Dormevil Farias e na 14 de Fevereiro (ambas da cidade de Pontes e Lacerda) e na Escola Estadual Antônio Gomes Primo (da cidade de São José do Xingu) exibirão as  práticas adotadas com a implantação da Agenda 21 e de Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (Com-Vidas).

Leia também:  'Quem perder o prazo da biometria não vai ter que pagar multa de R$ 150', diz TSE

“Esse convite do MEC (Ministério da Cultura), feito pela Coordenação de Educação Ambiental, já é fruto de todo o trabalho que realizamos no ano passado, advém de reuniões formativas, do I Encontro Estadual em Escolas Sustentáveis e Com-Vidas que reuniu em Cuiabá representantes de unidades escolares que desenvolvem ações na área”, explica a gerente de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Gisele Gomes. Ela pontua ainda que Mato Grosso possui inúmeras boas práticas de fazer pedagógico com olhar destinado a mudança de comportamento frente as necessidades de um mundo a ser construído cada vez mais pautado em ações sustentáveis.

Fazer com que estudantes, apoio técnico, equipe pedagógica trabalhem em consonância pela educação ambiental é a proposta defendida pela Com-Vidas – implantada desde 2009 – na Escola Estadual 14 de Fevereiro, uma das representantes do Estado. “Ainda estamos nos primeiros passos, mas entendemos que a construção tem de se iniciar. Já possuímos a cultura de ações ambientais conjuntas. Trabalhamos em parceria com a ONG GPA e já promovemos uma série de eventos que discutiram em quatro edições temas como a conservação e biodiversidade, meio ambiente e sustentabilidade no Vale do Guaporé, mudanças climáticas e uma visão para educação e água fonte de sustentabilidade”, explica o coordenador pedagógico Adilson Ribeiro de Araújo. “Tem um grande significado representar o Estado, mas entendemos que a educação ambiental tem de ser trabalhada desde o nascer”.

Leia também:  Mulher adota 6 filhotes de gambá ao descobrir que perderam a mãe em incêndio

Saiba Mais

Agenda 21 nas escolas tem como objetivo executar ações e sensibilizar toda a comunidade escolar propiciando uma nova perspectiva de desenvolvimento, sob a ótica da sustentabilidade e respeito ambiental.

Com-Vidas

A Com-Vidas é uma nova forma de organização na escola e se baseia na participação de estudantes, professores, funcionários, diretores, comunidade. Quem organiza a Com-Vidas é o delegado ou a delegada e seu suplente da Conferência de Meio Ambiente na Escola, com o apoio de professores. O principal papel da Com-Vidas é contribuir para um dia a dia participativo, democrático, animado e saudável na escola, promovendo o intercâmbio entre a escola e a comunidade, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.