O processo seletivo para contratação de servidores para a Secretaria de Promoção e Assistência Social foi questionado por alguns candidatos que afirmam haver irregularidade na seleção. Mais de 600 pessoas se inscreveram para concorrer às vagas disponíveis.

A insatisfação de alguns candidatos se dá em razão da boa classificação na prova escrita e mesmo com o bom resultado no teste não foram chamados para a fase seguinte, a entrevista. Em contra partida pessoas que tiveram desempenho inferior foram convocados para a entrevista.

A comissão avaliadora do processo seletivo justificou as pessoas não entendem que é um processo de eliminação onde os candidatos que apresentam os melhores resultados serão selecionados.

Um dos critérios de pontuação no seletivo era a analise curricular, onde os candidatos deveriam comprovar qualificações, grau de instrução acadêmica, experiência para a vaga que pleiteava dentro outros pontos. “Muitas pessoas apresentaram apenas um currículo sem nenhuma cópia ou atestado de experiência e por isso acabaram tendo nota baixa, apesar do resultado na prova escrita. Outro problema se deu em razão dos candidatos não lerem o edital corretamente e se inscreverem para funções com aptidões específicas, como por exemplo, formação musical ou em educação física quando não possuíam o mínimo de conhecimento na área”, esclareceu uma das representantes da comissão.

Leia também:  Casal morre prensado em engavetamento na BR-364

Dos quase 600 currículos analisados apenas 210 foram selecionados para a fase a entrevista com a comissão e a psicóloga. Os recursos das pessoas que se julgaram prejudicadas foram todos acatados e avaliados pela comissão.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.