O julgamento do prefeito José Carlos do Pátio (PMDB) e da sua vice-prefeita Marília Salles (PSDB), no processo movido pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), que já está em segunda instância devido a um recurso do MPE, está suspenso desde a última terça-feira (20/03) quando o juiz André Luiz de Andrade Pozetti, pediu vistas ao processo.

No julgamento, já estão contabilizados três votos a favor do relatório do juiz Federal, Pedro Francisco da Silva, que argumenta que o prefeito e a vice-prefeita praticaram uma conduta vedada pela legislação, quando mandaram confeccionar 2.857 camisetas para fiscais e delegados no pleito de 2008. O juiz federal aceitou a tese do MPE que afirmou que a distribuição de camisetas vermelhas foi em volume bem acima da quantidade necessária para delegados e fiscais e pode ter desequilibrado as eleições.

Leia também:  BR-163 gera cerca de 2 toneladas de lixo por dia em 2016

Os números juiz federal em relatório apontam que foram confeccionadas 557 camisetas para delegados. Rondonópolis tem três zonas eleitorais, são permitidos dois delegados por zona, o que dá um total de oito. A defesa alegou que os delegados receberam camisetas a mais para trocar durante o pleito.

O relatório também aponta, com provas fotográficas, que no dia da eleição a cidade foi invadida por pessoas com camisetas vermelhas e que potencializava de forma lesiva a lisura do pleito.

O julgamento deve ser retomado na terça-feira (27/03), já que segundo informações é praxe que os membros do pleito tenham até duas sessões para analisar os autos.

Outro fator para que o julgamento continuasse suspenso foi a ausência em plenário, nesta quinta-feira (22/03), do juiz Samuel Franco Dalla Júnior. O pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) só se reúne as terças e quintas-feira.

Leia também:  Assistência Social de Alto Taquari dá pontapé inicial em "Campanha do Cobertor"

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.