Reunião com o presidente do IBAMA para pedir liberação da licença para operação da ferrovia. Foto da assessoria

A liberação da licença de operação do terminal ferroviário de Itiquira foi a pauta da reunião, que ocorreu nesta quinta-feira (08/03), entre o deputado federal Wellington Fagundes (PR) e o secretário extraordinário de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes, Francisco Vuolo com o presidente nacional do IBAMA, Curt Trennepohl.

Trennepohl adiantou que a licença deve sair o mais breve possível. “O prazo máximo é de 30 dias, mas acredito que até o final deste mês esteja tudo pronto para o funcionamento dos trilhos no município”, explicou.

De acordo com Fagundes a extensão da ferrovia foi uma das maiores conquistas para Mato Grosso. “Estamos lutando há muito tempo para que os trilhos cortem a maior parte do Estado, e ver que este desejo está se concretizando nos deixa muito satisfeitos. A Ferrovia é de extrema importância para o escoamento da produção agrícola que se encontra dependente do transporte rodoviário”.

Leia também:  Cerca de 126 mil candidatos realizam o 2º dia de provas do ENEM

Extensão dos trilhos

Wellington Fagundes aproveitou a vinda do secretário Vuolo à Brasília para verificar o andamento do processo para a chegada dos trilhos a Rondonópolis. Segundo informações de Vuolo, a licença de instalação do trecho já está liberada o que permite a continuidade da obra. A expectativa é que a inauguração do terminal ferroviário de cargas no município aconteça no início de 2013.

A expansão da Ferronorte até Rondonópolis será de grande impacto econômico para todo o Estado. Quando o trecho de 252 quilômetros de extensão estiver concluído, os dois novos terminais da ferrovia receberão mais 12 milhões de toneladas de carga por ano, escoando a produção de grãos do Estado até o Porto de Santos, com previsão de chegar a 17,5 milhões de toneladas em 2015.

Leia também:  Pátio relembra Alberto e diz que ex-prefeito foi corajoso

“Além das obras até Rondonópolis, estamos trabalhando junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres para executarmos o projeto básico e os estudos de impactos ambientais para a ampliação da ferrovia até Cuiabá, só assim iremos definir o traçado dos trilhos”, explicou o secretário Intermodal de Transportes.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.