Ação de distribuição de preservativo no Rondonfolia de 2012. Foto:Varlei Cordova/AGORA MT

A distribuição de preservativos em Rondonópolis, em 2011, apresentou um acréscimo de 21% em relação ao ano anterior. O Departamento de Ações Programáticas em Saúde através do Programa Municipal de DST/HIV/AIDS e Hepatites Virais registrou a entrega de mais de 1 milhão de preservativos no ano passado.

O resultado é reflexo da política de acesso aos preservativos desenvolvida pelo Departamento que trabalha no intuito de facilitar o acesso à camisinha, que pode ser retirada em postos de saúde, hospitais e Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs). As recomendações são a de não exigir prescrição médica e documento de identidade nem presença em palestra ou em qualquer tipo de reunião para pegar camisinha nesses locais.

Leia também:  Operação Bairro Seguro | Prende 13 em flagrante e quatro por mandados de prisão

Em breve as escolas também vão disponibilizar preservativos gratuitamente, o que acontece sempre em conjunto com ações pedagógicas do programa Saúde e Prevenção nas Escolas (SPE) e Programa de Saúde nas Escolas (PSE). Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas da População Brasileira (PCAP), realizada pelo Ministério da Saúde em 2008, mostrou que a iniciativa vem dando certo e aproximadamente 17% dos jovens entre 15 e 24 anos pegam camisinha nas escolas.

De acordo com a pesquisa, os jovens nessa faixa etária são os que mais pegam preservativo de graça nos serviços de saúde, sendo que 37,7% já recorreram à rede pública para conseguir a camisinha. Outro dado que indica a efetividade do programa de distribuição é o de que quem já pegou preservativo de graça usa o insumo duas vezes mais do que aqueles que nunca pegaram.

Leia também:  Sanear interdita passagem de ponte para substituir coletor de esgoto

Os números da PCAP também demonstram que a população em geral tem conhecimento sobre as formas de infecção e prevenção à AIDS. Aproximadamente 96% da população pesquisada sabe que pode ser infectada nas relações sexuais sem preservativo e 97% das pessoas sabem que o uso de preservativo é a melhor maneira de evitar a infecção pelo HIV.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.