Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

O diretor regional da Secretaria de Meio Ambiente em Rondonópolis (Sema), Silvestre José Arruda, afirmou que este ano o foco do período da Piracema foi à educação ambiental, além da proteção dos rios. De acordo com ele foi realizado durante todo esse período uma média de 24 operações em pontos críticos e nas cabeceiras dos nove rios que compreende toda a região Sul.

Silvestre contou que o trabalho de conscientização começou pelos donos de propriedades que ficam próximos aos rios. “Orientamos aos fazendeiros que proibissem a pesca durante a Piracema mostrando a ele a importância da preservação durante esses quatro meses. E podemos dizer que houve resultados, já que muitos fazendeiros nos ligaram denunciando a pesca irregular”, fala.

Leia também:  2ª Semana da Consciência Negra acontece em Rondonópolis

Para o diretor da Sema o período de proibição foi satisfatório e atendeu as expectativas. “Conseguimos reduzir os números de apreensões principalmente à de pescado que caiu de 300 quilos em 2011 para apenas 180 quilos em 2012”, diz.

O diretor acredita que a educação ambiental é a melhor maneira de proteger os rios e não como era feito antigamente, onde se priorizava as apreensões. “Temos que fazer ações que impeçam a retirada do peixe do rio, porque depois que ele é pescado não tem mais o que fazer com ele”, conta.

 

Matérias Relacionadas

http://www.agoramt.com.br/2012/02/cai-o-numero-de-apreensoes-durante-periodo-de-piracema-na-regiao/

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.