Por ser localizado na região do Vale do Araguaia, que hoje apresenta o maior potencial de crescimento agrícola no estado de Mato Grosso, consequentemente nas áreas econômica e social, o município de Canarana/MT foi o escolhido para encerrar os Dias de Campo Fundação MT.  Produtores rurais, estudantes, agrônomos e consultores da área foram buscar no evento as novidades tecnológicas existentes para uma produção rentável e sustentável.

A região tradicionalmente pecuarista, hoje muda o panorama com o crescimento da agricultura. Produtores estão convertendo áreas de pastagens em lavouras. Os números apontam um aumento de produção de 2,22 milhões de toneladas de soja na safra 10/11 para 2,86 milhões de toneladas na safra 11/12, ou seja, 28,7%. Em área plantada o crescimento é de 694 mil hectares para 907 mil de área plantada em relação ao ano passado, um crescimento de 30,7%, segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Essa expansão de produção e ganhos em produtividade é resultado do progresso em pesquisas e tecnologias agrícola. Nesse contexto a Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso, Fundação MT, contribui significativamente com o desenvolvimento da agricultura no estado através da disponibilização de informações e tecnologias ao setor produtivo.

Leia também:  Bairro de Cuiabá recebe nova edição do Multiação neste sábado (15)

Canarana/MT foi o município que mais cresceu em área de soja plantada da região do Araguaia. Aumentou 291% da safra 2001/2002 à atual 2011/2012. O comparativo da safra do ano passado para a atual mostra um de salto de 127 mil para 152 mil hectares, tendo um aumento de produtividade de 42 para 53 sacos por hectare uma diferença de 11 sacos/ha.

O cultivo de milho segunda safra também tem crescido na região. Na safra passada a cultura registrou 22.800 hectares de área cultivada e uma produtividade média de 75 a 77 sacos/ha. A Secretária de Agricultura e Meio Ambiente do município, Eliane Felten exalta a atividade. “O milho safrinha veio pra ficar no Vale do Araguaia”.

E o município tem suporte para o desenvolvimento que esse progresso tende a ocasionar. Conta com Promotoria Pública, Defensoria Pública, Companhia de Polícia Militar, Delegacia Municipal de Polícia, Empaer, Ciretran, Subseção da OAB, Indea, Agência Fazendária, CDL, Inspetoria do CREA, Funai, ensino superior, creches, hospitais, telefonia móvel e fixa, energia interligada ao sistema nacional, sindicato rural, associação comercial e industrial, centro de tradições gaúchas e agências do Bradesco, Banco do Brasil e HSBC.

Leia também:  IFMT lança edital com 2,8 mil vagas em cursos técnicos integrados ao Ensino Médio

Segundo Feltren, um dos ganhos da região do Vale do Araguaia com o desenvolvimento será a infraestrutura de logística. “Essa é uma região carente de projetos de logística. As ruins condições das estradas é um dos nossos principais problemas. Com o progresso acredito que esse cenário mudará”.

Comparando os anos de 2009 e 2010, o Produto Interno Bruto (PIB) de Canarana/MT saltou de R$ 197.409.000 para R$ 253.772.000. Crescimento que consequentemente contribui para a economia do estado. Já a renda per capita (2009 – 2010) aumentou de R$ 10.213 para R$ 14.769. Tendo como principal base econômica o agronegócio, esses números provam a importância do crescimento da atividade na cidade e região.

Na medida em que o agronegócio de expande, gera-se movimento na economia, impulsionando o desenvolvimento da região o que atrai a instalação de empresas, gerando assim emprego e renda.

Leia também:  Membros do Conselho Estadual de Cultura tomam posse nesta quarta-feira

E tem espaço para crescer mais, pois possui vasto potencial de terras com pastagens degradadas a serem integradas ao plantio da soja. O produtor rural de Água Boa/MT, Geraldo Adelai, presente no Dia de Campo, está motivado em ampliar sua área de cultivo. “Tenho 1.200 hectares de área plantada de soja dos 6.000 hectares de extensão da fazenda.”

Lauro Bender, produtor em Canarana/MT ressalta a importância do evento para a região que tende a crescer. “É sempre bom termos acesso a novas informações e tecnologias sobre o setor. Gostei muito da palestra sobre o programa Soja Plus, pois esclarece dúvidas sobre a legislação trabalhista e ambiental. Além de dar bons exemplos de produção que respeita o meio ambiente e a sociedade.” Bender também pretende aumentar sua área de cultivo no próximo ano. “Nesta safra são 700 hectares de soja plantados. Para a próxima, queremos aumentar pelo menos mais 200 hectares”, conclui.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.