As palestra iniciaram ontem e seguem até quinta-feira. Foto Varlei Cordova/AGORA MT

Os agentes Comunitários de Saúde (ACS) iniciaram nesta segunda-feira (23/04) o ciclo de palestras, durante a semana, sobre a anemia falciforme, para que estejam orientando a população sobre a doença. O evento é organizado pelo Movimento Negro de Rondonópolis.

A presidente do Movimento Negro de Rondonópolis, Elaine Lopes, explicou que até quinta-feira (26/04) os ACSs participarão de palestras sobre a doença com médicos hematologistas e com o presidente da Associação Mato-grossense de Portadores de Anemia Falciforme, Rosalino Oliveira, além de testemunho de pessoas que sofrem da doença.

Eliane disse também que os agentes de saúde irão participar como multiplicadores de informação sobre a doença que é desconhecida, inclusive por alguns médicos. “A anemia falciforme é facilmente confundida com outras doenças e somada com a pouca disseminação de informação sobre a doença resulta em pessoas que não recebem o diagnostico da enfermidade. Infelizmente até alguns médicos desconhecem a doença”, observou a presidente do movimento.

Leia também:  Prefeitura paga salário, metade do 13º e injeta mais de R$ 20 milhões na economia local

A presidente do sindicato dos ACS, Marina Lara, disse que a orientação é muito válida, pois já ocorreu se depararem com casos de anemia falciforme e dos profissionais não souberam como identificar a doença e proceder diante da situação. “Acredito que com esse ciclo de palestras estaremos mais preparados para identificar a doenças e orientar as pessoas”, falou a sindicalista.

A partir desse treinamento será realizado um levantamento de pessoas que sofrem com a doença e posteriormente será apresentado um relatório aos vereadores com uma proposta de lei para criar políticas públicas destinadas aos portadores da doença, como por exemplo, a realização do exame de diagnostico aqui no município, pois até o momento é feito em Goiânia-GO.

Leia também:  Frente fria chega à Rondonópolis nos próximos dias

Sintomas

Elaine relatou que a doença atinge apenas negros ou afrodescendentes sendo que os sintomas mais comuns são ferimentos que não cicatrizam, olhos amarelados, forte dores no corpo e nas juntas, principalmente em dias de frio, inchaço pelo corpo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.