Pelo menos 70 pessoas morreram em um ataque a uma casa em Hama, na Síria, cidade considerada símbolo da resistência ao governo do presidente sírio, Bashar Al Assad. De acordo com relatos, várias casas no distrito de Mashaa At Tayyar, no sul de Hama, foram destruídas. A mídia estatal afirmou que 16 pessoas morreram na explosão em uma residência que seria usada como fábrica de bombas por “grupos terroristas armados”.

Em um vídeo, mostrado por emissoras de televisão estrangeiras, há um homem sendo enterrado vivo por forças de segurança. O homem, não identificado, é citado como ativista. Nas imagens, ele aparece implorando para ser mantido vivo, mas é coberto com terra até silenciar. As forças de segurança atacam verbalmente o homem por ter supostamente vendido material para emissoras de televisão estrangeiras.

Leia também:  Venezuelanos enfrentam fila para obter visto e cruzar fronteira para entrar no Brasil

Na sequência da explosão, ativistas postaram um vídeo na internet em que mostram cenas da destruição com corpos sendo retirados de escombros. Os ativistas políticos disseram que a explosão foi causada por um ataque das forças do governo. A emissora de televisão estatal da Síria mostrou imagens de crianças feridas em um hospital.

Porém, não é possível verificar a autenticidade de vídeos e comunicados oficiais dadas as restrições ao trabalho da mídia no país. A Organização das Nações Unidas (ONU) mantém os apelos para a paz e o cessar-fogo imediato na região. Um grupo de observadores está no país para verificar as ações do governo e da oposição.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.