Em encontro realizado na tarde desta quinta-feira (26), na sala de reuniões do gabinete da Prefeitura, o Conselho Municipal de Assistência Social (Comas) decidiu por transformar o Centro de Convivência do Idoso do bairro Cidade Alta em um Centro de Referência da Assistência Social (Cras).

De acordo com a secretária de Promoção e Assistência Social do município, Neuma de Morais, o foco do trabalho realizado no local continuará sendo o idoso. “Todas as entidades e órgãos que compõe o Comas entenderam que o espaço, que acabou de ser inteiramente reformado, levará mais benefícios àquela comunidade sendo um Cras”, destacou a gestora da pasta.

Neuma acrescentou que para esta reunião o Conselho Municipal do Idoso foi convidado para participar da reunião. “Entendemos que a participação de todos, e neste caso em específico do Conselho do Idoso, era de suma importância, para decidir qual seria o destino do espaço que hoje abriga o Centro de Convivência do Idoso do Cidade Alta”.

Leia também:  Feira do Empreendedor dá espaço para campanha

A presidente do Comas, Márcia Rotili, explicou que o objetivo deste Cras, que apesar de atender toda a população da região terá um trabalho voltado para garantir o envelhecimento saudável dos moradores, vai oferecer a comunidade serviços, benefícios e programas que antes não serviam o Cidade Alta e os bairros vizinhos.

“Os moradores do Cidade Alta não irão mais precisar se deslocar para o Cras do Jardim Iguaçu para ter acesso aos serviços oferecidos pelo governo, como carteirinha do idoso, Bolsa Família, IPTU Social, Telefone Social, Tarifa Social, CadÚnico e Benefício de prestação Continuada (BPC), produtos que só podem ser oferecidos à comunidade em um Cras”, destacou Márcia.

A secretária Neuma de Morais ressaltou que o trabalho desenvolvido num Cras amplia o número de famílias beneficiadas. “Se antes o centro de Convivência, que só abria duas vezes na semana, atendia somente um grupo de pessoas – os idosos, o Cras, que funcionará de 2ª à 6ª feira, vai atender jovens, crianças, mulheres, homens e idosos; e este é o nosso objetivo: levar melhoria de vida para o maior número de pessoas”, disse Neuma.

Leia também:  Moradores do Colina Verde e Sagrada Família reclamam da falta de água nos bairros
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.