O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, apelou ontem (26/04) para que os militantes – que chamou de “revolucionários” – intensifiquem a campanha nacional contra o que classificou de  “guerra psicológica” cujo alvo é sua candidatura à reeleição presidencial. O primeiro turno ocorre em 7 de outubro. O apelo foi feito no mesmo dia em que ele retornou de Cuba – onde ficou 11 dias em tratamento médico.

“É uma operação de guerra psicológica que deve ser derrotada. Devemos seguir em frente com fé e fortalecer o nosso compromisso com a revolução”, disse Chávez.  “Unidade, unidade, unidade”,  acrescentou, em tom de campanha. Chávez e a oposição trocam críticas.

“Vamos continuar fazendo o que precisa ser feito. [Vamos] rua por rua, cidade por cidade, para [enfrentar] a dura batalha que nos levará à grande vitória de 7 de outubro, mas que deve ser construída todos os dias,  minuto a minuto”.

Leia também:  Por plano de assassinato, Coreia do Norte pede execução de ex-presidente sul-coreana

Por telefone, Chávez fez as afirmações a militantes do Comando Carabobo (comando de campanha do Partido Socialista Unido da Venezuela), diálogo transmitido pela emissora estatal de televisão da Venezuela, VTV.

O presidente fez ontem duas aparições públicas, nas quais informou que está confiante no tratamento para o combate ao câncer. Um tumor na região pélvica reincidiu, depois de ele ter se tratado no ano passado. O presidente foi a Cuba para se submter a sessões de radioterapia.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.