O Ministério Público Eleitoral, no município de Rondonópolis, requereu nesta quinta-feira (12.04) ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) alguns documentos para finalizar denúncias de corrupção eleitoral contra 50 eleitores. Existem ainda mais 663 pessoas sendo investigadas. São eleitores que, supostamente, teriam trocado seus votos por vale combustível nas vésperas da eleição de 2010.

De acordo com o promotor de Justiça Ari Madeira Costa, em outubro de 2010, agentes da Polícia Federal receberam uma denúncia de compra de votos e ao se dirigirem a um comitê eleitoral, no município, verificaram uma aglomeração de pessoas. No decorrer da diligência, os agentes encontraram uma lista com 713 nomes de eleitores que estavam sendo contemplados com cupons para aquisição de combustível.

Leia também:  Quantidade de blitz e apreensão de veículos irregulares geram insatisfações em rondonopolitanos

“Os agentes da Polícia Federal apresentaram-se com pseudônimos e, mesmo não inscritos na referida lista, receberam os cupons acompanhados de propaganda eleitoral de um determinado candidato. No momento da efetivação do flagrante, das três pessoas que estavam realizando a distribuição, duas foram presas e uma foragiu do local. Na sequência, os policiais foram até o posto de gasolina e identificaram nada menos do que 323 cupons idênticos aos distribuídos no comitê eleitoral”, ressaltou o promotor de Justiça.

Segundo ele, durante o inquérito policial pelos menos 50 eleitores que constavam na lista apreendida foram ouvidos, sendo que alguns deles confirmaram o recebimento de vantagem e o pedido de votos e apoio eleitoral. “O crime foi cometido em continuidade delitiva (art. 71 do Código Penal) por incontáveis vezes, o que dá mostras a lista apreendida no comitê contendo exatos 713 nomes de eleitores beneficiários, os quais correm o risco de serem denunciados pelo mesmo crime ainda este ano”, acrescentou.

Leia também:  Lei da Taxa do Lixo foi criada antes de Pátio assumir

Conforme o representante do Ministério Público Eleitoral, as três pessoas responsáveis pela distribuição do combustível já foram denunciadas pela Procuradoria Regional Eleitoral perante o TRE/MT. A apuração da responsabilidade dos eleitores que venderam seus votos está a cargo da 45ª Zona Eleitoral de Rondonópolis.

“É importante alertar que esse tipo de conduta não pode ser mais aceita e cada família é responsável por essa mudança de atitude. Tornou-se uma tradição no dia da eleição a necessidade de se separar um local para os chamados ‘cadeiões’. Isso é um absurdo, pois, o que deveria ser uma demonstração de democracia e alegria termina sendo fator de vergonha e decepção para todos, eleitores, autoridades, candidatos e partidos”, alertou Madeira.

Leia também:  UFMT realiza o 3º fórum de meninas digitais com inscrições gratuitas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.