O servente de pedreiro Reginaldo Lima Santana (25) e o gari Adriano Lima Santana foram presos pela Polícia Militar (PM) por suspeita de furto a casa do empresário G.A.D. (46) na noite desta quinta-feira (19/04) no Centro de Rondonópolis. De acordo com a PM, a dupla de suspeitos foi localizada a partir de GPS que havia em um dos materiais furtados.

Segundo a PM, os suspeitos estavam em uma casa no bairro Vila Rondon. A PM chegou ao local e ao ser realizado abordagem foi encontrada com Adriano Santana uma porção de maconha e dinheiro de quantidade não informada com Reginaldo Santana. Em seguida os policiais militares entraram na residência onde estavam um par de tênis e bijuterias que foram reconhecidos pelo empresário G.A.D..

Leia também:  Após denúncia, DERF apreende entorpecentes e suspeitos são presos por tráfico de drogas

Depois que a PM deu voz de prisão aos irmãos Reginaldo e Adriano Santana foi recebido a informação de populares que havia uma casa que era utilizada por Reginaldo próximo do local onde os suspeitos estavam. Segundo a PM, uma chave foi encontrada e quando a residência foi aberta outros materiais também foram localizados na casa que foi descoberta.

Segundo a PM, dos objetos que estavam na casa encontrada alguns eram os materiais que tinham sido furtados da residência do empresário G.A.D. e que foram reconhecidos. Constam no Boletim de Ocorrência (BO), que foram levados da casa do empresário materiais como um tablet, um netbook, um notebook e quatro celulares. Já com os suspeitos foram encontrados objetos como duas pedras de substância que aparenta ser pasta base de cocaína, uma balança de precisão, uma bolsa com 23 munições de festim calibre 762, três munições de revólver calibre 762 e uma munição de arma calibre 38, uma colher, um talão de cheques, uma TV de 40 polegadas e quatro celulares.

Leia também:  Rondonopolitanos devem pagar até R$ 100 no gás de cozinha

Os irmãos Reginaldo e Adriano Santana foram encaminhados para o Cento Integrado de Segurança e Cidadania (CISC) para registro do BO. Os materiais que não possuíam procedência também foram levados para o Cisc.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.