Maria de Fátima Silva do Nascimento (21) foi presa pela Polícia Militar  (PM) por suspeita de uma tentativa de homicídio contra seu filho, L.E.R.S. de nove meses na noite desta quinta-feira (26/04) no bairro Residencial Campo Limpo na Zona Rural de Rondonópolis. O pai da criança, o auxiliar de segurança G.E.R. (33) disse a PM que o filho sofreu intensa agressão de Maria do Nascimento e alegou que é a terceira vez que o filho de 9 meses passa pela situação.

O auxiliar de segurança G.E.R. informou a PM que bebia cerveja junto com Maria do Nascimento na cidade e depois o casal foram de carona até a Zona Rural onde moram. G.E.R. afirmou que depois de chegar a residência foi de repente que Maria do Nascimento passou a agredir o filho de nove meses, onde a mulher segurou o bebê pelo tronco e depois o jogou ao chão. O auxiliar de segurança G.E.R. relatou a PM que depois sua esposa pegou o bebê novamente e o segurou pelo pescoço.

Leia também:  Bairro Seguro | Forças de Segurança prendem 135 pessoas em apenas 10 horas de operação

Para acabar com as agressões, G.E.R. usou de força física para tirar a criança de Maria do Nascimento e em seguida saiu da casa e procurou por vizinhos para leva-lo até a cidade, onde a criança foi encaminhada para Pronto Atendimento Infantil. No Hospital o médico pediu ao auxiliar de segurança G.E.R. procurar o conselho tutelar.

De acordo com a PM, o auxiliar de segurança G.E.R. foi junto com o avô da criança até o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (CISC) para fazer a denúncia. Um carro da PM foi até a casa de G.E.R., mas encontram Maria do Nascimento no meio do caminho. Segundo a PM, a mulher estava com desequilíbrio emocional, voz embaraçada, olhos arregalados e avermelhados, desequilíbrio ao andar e apresentava agressividade. Maria foi encaminhada para o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (CISC) para prestar esclarecimentos.

Leia também:  Motorista é sequestrado e tem caminhão com carga roubado na BR-364 em Nobres

Segundo a PM, o auxiliar de segurança afirmou que sua mulher ameaçou de matar a criança e devido a disposição em cumprir a ameaça foi que resolveu fazer a denúncia. Maria do Nascimento será encaminhada para a Cadeia Pública e o caso será investigado pela Delegacia de Defesa da Criança e do Adolescente (DEDICA).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.