“Caso não conseguirmos nenhuma resposta, em última instância vamos pedir a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)" - Foto: Assessoria

Durante a sessão da Câmara Municipal desta quarta-feira (11/04) o vereador Milton Mutum (PSD) cobrou respostas do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) sobre a obra de duplicação do trecho urbano das rodovias BR – 163/364. O prazo dado pelo DNIT para apresentar os resultados dos estudos técnicos sobre a qualidade da pavimentação foi estipulado em 30 dias, mas já se completaram 60 dias e o Departamento não enviou nenhuma resposta sobre o caso.

Mutum afirmou que encaminhou um ofício ao DNIT para pedir explicações e que pretende ir até Cuiabá para tratar do assunto. “Caso não conseguirmos nenhuma resposta, em última instância vamos pedir a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), já que assim poderemos convocar as pessoas para dar as respostas”, diz.

Leia também:  Aula inaugural da Unemat em Rondonópolis acontece nesta segunda (4)

Para Milton a população não pode ficar sem explicações, pois há muito dinheiro público investido nesses locais, além do que as obras não podem continuar paradas. “As obras tem que recomeçar, mas de forma que seja feita com boa qualidade”, conta.

O CASO

Depois de uma denúncia do vereador Milton Mutum de que a obra de pavimentação que está sendo feita há cerca de três anos na rodovia e que mesmo sem estar finalizada já possuía alguns trechos deteriorados, a Comissão de Obras do Legislativo Municipal, presidida pelo vereador Lourisvaldo Manoel de Oliveira “Fulô” (PMDB), passou a apurar o caso.

Em oito de fevereiro, os vereadores se reuniram com o superintendente do DNIT em Mato Grosso, Luiz Antônio Garcia, com o secretário municipal de Infraestrutura, Ronaldo Uramoto, e com a diretoria do Comitê Pró-Rodovias, para tratar da qualidade das obras da travessia urbana da BR-364/163 e durante o encontro ficou estabelecido que em até 30 dias fosse elaborado um laudo por engenheiro especialista para apurar onde e quem cometera os erros na obra.

Leia também:  Candidatos do concurso da Seduc devem redobrar atenção para às regras da prova
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.