Em maio do ano passado, Nininho Sandra Mendes estiveram reunidos com os superintendentes de Gestão de Cadeias, Altair Camilo Junior e de Gestão de Penitenciárias, José Carlos de Freitas

Fiação exposta, infiltrações, falta de manutenção do prédio, mau cheiro, ambiente de trabalho irregular são algumas das principais observações levantadas pelo deputado estadual, Ondanir Bortolini –Nininho (PR-MT) em visita à Cadeia Pública Feminina de Rondonópolis. O republicano constatou que existe parte da laje já sem o reboco que caiu em virtude de infiltrações e cobra do Governo do Estado a liberação de recurso para a reforma elétrica e hidráulica do local, que está para ser realizada há mais de um ano.

Em maio do ano passado, Nininho e a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Sandra Mendes estiveram reunidos em Cuiabá com os superintendentes de Gestão de Cadeias, Altair Camilo Junior e de Gestão de Penitenciárias, José Carlos de Freitas que naquela ocasião já falavam da realização do levantamento de preço para as adequações na unidade, porém, até o momento o prédio está na mesma situação.

Leia também:  Dois são presos por participação em morte de dentista

Hoje, 98 reeducandas estão cumprindo pena ou prisão provisória no local e a maioria pede uma pequena reforma nas instalações das celas, como a substituição de vasos sanitários turcos pelos convencionais em apenas três das nove celas. As instalações elétricas depois da reforma devem ficar do lado externo do prédio, que é a recomendação para unidades de ressocialização.

No ano passado, a Superintendência de Gestão de Cadeias informou que o setor de engenharia do Estado havia estimado o valor da reforma desta Cadeia em R$ 540 mil, porém, o projeto de reforma elétrica e hidráulica foi desmembrado para que seja feito anteriormente. A diretora da Cadeia Feminina, Noraney Alves informa que essa reforma emergencial será iniciada dentro de 15 dias e que o material, inclusive, já foi adquirido pelo Estado.

Leia também:  Grupo é preso após manter família refém durante roubo

O deputado Nininho disse que está atento ao prazo e cobrará essa ação da Secretaria de Segurança Pública. “Temos mantido amplo diálogo com o secretário Diógenes Curado e acreditamos que a reforma da parte elétrica e hidráulica seja concluída ainda nesse semestre. Ele tem nos atendido naquilo que é possível fazer, considerando que Mato grosso passa por um momento de dificuldade. Vamos dialogar e manter o Conselho da Mulher e os profissionais da Cadeia informados do que será possível fazer”, declara o parlamentar.

Sandra Mendes aponta a necessidade de nova pintura, adequações nas celas de gestantes e parturientes e uma cozinha para os agentes que ali trabalham. Ela aproveitou a ocasião para entregar um documento ao legislador solicitando para que intervenha pela permanência da psicóloga que trabalha na unidade prisional cedida da Cadeia ainda em construção do município de Pontes e Lacerda.

Leia também:  Mulher é presa tentando entrar com droga na Mata Grande

Nininho percebeu que a cozinha dos servidores é precária e que eles utilizam uma área improvisada, com telha Eternit quebrada em determinadas partes e extremamente quente. “Vamos lutar por uma nova estrutura para os agentes”, especifica ele.

A diretora da unidade ressalta que vem buscando realizar as melhorias na medida do possível. Ela informa que as reeducandas tem consulta médica de 15 em 15 dias e psicológica duas vezes por semana. “Estamos fazendo de tudo para melhorar as condições. Conseguimos atendimento médico, psicológico e de assistência social. Ainda temos aulas de alfabetização, oficinas de pintura e de artesanato”, destaca Noraney, enfatizando os trabalhos de ressocialização desenvolvidos na Cadeia.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.