No dia 17 de fevereiro a prefeitura municipal repassou uma área, próximo ao Corpo de Bombeiro, ao Detran (Departamento Nacional de Trânsito de Mato Grosso) para guardar os veículos apreendidos pela Polícia Militar (PM), contudo até o momento o espaço continua intocado.

O diretor da 2ª Ciretran, Carlos Nazário, relatou dois pontos que impedem a utilização do espaço, o primeiro motivo se dá em razão de que havia um acordo com a prefeitura e a Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (CODER) para que a área fosse cercada com alambrado, mas foi protegida apenas com fios liso, o que não oferecesse condições de garantir a segurança dos bens. “Não é viável utilizarmos o espaço, pois qualquer pessoa pode entrar no local e levar peças dos veículos”.

Leia também:  Empresa agrícola deve ser implantada em Rondonópolis

Outra situação pontuada pelo diretor é a falta de policiais para fazer a fiscalização do local, pois foi solicitada a apresentação de seis policiais reformados para fazer a segurança no local e apenas dois se dispuseram a trabalhar.

Pátio da 2ª Ciretran de Rondonópolis. Foto: Arquivo AGORA MT

Nazário relatou que o Governo do Estado irá liberar um recurso para colocação de uma cerca de alambro, câmara de segurança, cerca elétrica como forma de garantir a integridade dos bens depositados no espaço. “A partir do momento que o veículo entra no pátio do Detran é de nossa total responsabilidade e não podemos deixar que seja depredado, por essa falta de segurança estamos concentrado todos os veículos apreendido no pátio da Ciratram”, disse o diretor.

Leia também:  IFMT Rondonópolis abre 46 vagas para vestibular de nível superior

Como o pátio da 2ª Ciretram está lotado, consequentemente a PM é forçada a maneirar no número de apreensões na blitzes realizada na cidade, para que não fique na rua.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.