Pelo menos 35,6 milhões de pessoas no mundo sofrem com problemas decorrentes de demência mental, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A estimativa é que até 2030 esse número aumente para 65,7 milhões e até 2050 para mais que o triplo – 115,4 milhões. Os especialistas dizem que a demência afeta pessoas em todos os países, sendo que nas regiões mais pobres as principais vítimas são as que têm mais de 50 anos.

A demência é uma síndrome de natureza crônica causada por uma diversidade de doenças mentais, que afetam em geral a memória, o raciocínio, o comportamento e a capacidade de fazer atividades cotidianas. O Mal de Alzheimer é apontado como a causa mais comum de demência, registrando 70% dos casos.

Leia também:  Peça de helicóptero se desprende e atinge criança dentro de escola no Japão

As doenças caracterizadas por demência mental geram gastos de aproximadamente US$ 604 bilhões por ano no mundo. Para a OMS, o tratamento da demência deve ser prioridade de saúde pública. Apenas oito países desenvolvem programas públicos de tratamento desses problemas.

A recomendação da OMS é incentivar o diagnóstico precoce, sensibilizar a opinião pública sobre as doenças referentes à demência, reduzir o estigma e proporcionar melhor atendimento e mais apoio aos cuidadores.

“Precisamos aumentar nossa capacidade de detectar demência precoce e fornecer cuidados de saúde e sociais necessários. Muito pode ser feito”, disse o diretor-geral adjunto da área de Doenças Não Transmissíveis e Saúde Mental da OMS, Oleg Chestnov. “Os profissionais de saúde muitas vezes não são adequadamente treinados para reconhecer a demência”.

Leia também:  Partido chinês confirma Xi Jinping como líder por mais 5 anos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.